O que o olho humano não vê, a termografia vê

Sergio Munhoz Pereira • 05/07/2018 04:47:00

O homem sempre ficou maravilhado com a natureza, especialmente observando alguns animais e características que ele, o homem, não tem. Dentre as mais diversas maravilhas da natureza está o “poder” para voar.

Na mitologia grega, temos a tentativa de Ícaro que construiu asas e voou, voou tão alto que suas asas de cera derreteram, caiu e morreu. Séculos se passaram e um dia este sonho de voar concretizou-se. O homem pode utilizar aviões, balões, helicópteros e até naves espaciais para ir além do planeta Terra.

A vontade de imitar alguns animais fez o homem sonhar mais: ver onde os olhos não veem, na ausência total da luz, nas noites longas, nas tempestades e nas cavernas, como as corujas e morcegos.

Em 1800, na Inglaterra, o cientista Herschel percebeu que a luz branca era formada por várias cores, como do arco íris, mas os olhos humanos não veem todas faixas do espectro, como a radiação infravermelha, mas os animais a utilizam. Mais de um século se passou para o homem conseguir “enxergá-la”.

Agora com equipamentos especiais como monóculos, binóculos e câmeras, o homem conseguiu mais uma façanha, ver objetos ou imagens, totalmente em ambiente escuro. Inicialmente esta tecnologia, termografia, ficou em mãos militares, para tática e estratégia de guerra, ver o inimigo no escuro, que fez surgirem as armas bélicas.

Mas onde entra a termografia nisto tudo? Em tudo! Na indústria alimentícia, nos satélites, no controle de armazenamento de gases e combustíveis, em portos e aeroportos, evitar entradas de doenças, contrabandos e terrorismo e especialmente na área da saúde. Na medicina desde 1957, a termografia está presente “para vasculhar nosso interior” e verem situações clínicas ou doenças que nossos olhos não conseguem ver.

Muitas doenças podem ser visualizadas pela termografia como sinusite, bursites e tendinites, pneumonia, bronquite, colite espasmolítica, as hérnias de disco, endometriose, tumores malignos de tireoide, de mamas, de próstata, fibromialgia, isquemias em pés pacientes diabéticos e estudos avançados na detecção precoce da doença de Parkinson.

Assim como voar não é mais obstáculo ao homem, ver no escuro, na mais profunda ausência de luz, também não é. O nível de sofisticação dos equipamentos de captação da radiação infravermelha permite a “enxergar” dentro do nosso corpo circunstâncias que outrora evoluiriam e prejudicariam nossa qualidade de vida, eventos que os nossos olhos não veem. Isto é a termografia!

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste