Greves e medo versus paz e confiança

Luiz Kazuo Komoda • 11/06/2018 09:24:15

Gente apavorada enchendo galões para estocar gasolina, um procedimento ilegal com riscos. Consumidores aflitos lotando carrinhos de supermercados “garantindo” se precaver contra carestia de alimentos. Admitem que é egoísmo ignorar as necessidades dos outros, “mas é assim mesmo, tenho que defender a minha parte”, dizem. Esse caos resultado da greve dos motoristas caminhoneiros em maio deste ano revelou algo não visível anteriormente: a fragilidade pela dependência que temos de quem planeja, constrói e mantêm meios e vias de transporte, alimentos e todas necessidades dentro e fora de casa.

Mostrou também que tipo de caráter camuflado as crises revelam. Jesus denunciou essa natureza humana maligna há dois mil anos: “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem”? Mateus 7:11. Ele chamou de maus a todos nós e Salmos 14:3 corrobora: “Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos: não há quem faça o bem, não há sequer um”. Jesus foi taxativo, bom na Terra só existe um: Deus.

Isso coloca você e eu no mesmo nível dos oportunistas, corruptos e bandidos, o que difere são os pecados deles e os nossos. O povo acusa Lula, Temer e Dilma (e devem, sim, ser punidos se praticaram crimes) mas, perante Deus, somos “farinha do mesmo saco”! Davi revela a origem de nosso mau caráter: “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe. Salmos 51:5. E o apóstolo João alerta: “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. 1 João 1:8-10.  Mas existe remédio, Deus sempre traz boas novas, a solução: reconhecer e confessar diretamente a Jesus. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. 1 João 1:9. Confessar, deixar e pedir poder para não repetir.

Paulo diz: “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus”, conforme 1 Coríntios 6:8-10, e aponta a solução: “E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus. 1 Coríntios 6:11. O que importa não é “status” atual e sim a mudança que Jesus fará se o pedirmos: de ex-injustos para justificados pelos méritos de Cristo. Essa pessoa convertida a Jesus confia em Deus e tem paz: “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal. Isto será saúde para o teu corpo, e refrigério para os teus ossos. Honra ao Senhor com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos; E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares. Provérbios 3:5-10. Isso não é “teologia da prosperidade” e sim paz e confiança em Jesus. Ele muda nosso caráter para sermos mais semelhantes ao Dele. E dá confiança que elimina medos e correrias para postos e supermercados.

Está escrito na Bíblia Sagrada. 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste