Cotidiano

Avaliar os resultados da eleição é uma demonstração de otimismo

Marcos Antonio de Carvalho Lucas • 28/10/2018 05:02:00

As eleições de 2018 ainda não findaram, mas permitiu que a região de Presidente Prudente aumentasse em 100% sua representatividade a partir de 2019, seja na Assembleia Legislativa e no Senado. Para podermos avaliar o eleitorado prudentino e analisar o que deu certo e o que deu errado nas eleições para nossa região, é preciso falar de números e comparar com o que ocorreu nas anteriores.

O número de candidatos dessa vez aumentou substancialmente. Para federal foram 13 candidatos, que contabilizaram 60.105 votos em Prudente; no Estado de São Paulo, 863 tentaram uma vaga e receberam 45.578 votos. Com três eleitos para a Assembleia Legislativa, 26 candidatos somaram 68.999 votos, e os 833 candidatos do Estado conquistaram 33.104 votos.

Não podemos deixar de falar nos votos brancos e nulos. Em 2014, para federal foram 17.874 contra 16.482 em 2018. Para estadual, na eleição anterior foram 14.331 inválidos e 17.757 em 2018. Já sobre os votos válidos, candidatos estaduais angariam 113.657 em 2014, e 109.838 em 2018; federais de 110.114 em 2014, e 111.116 dessa vez.

Pode parecer desanimador, mas não é. Embora o número de votos nulos e brancos tenha aumentado para estadual nessas eleições, a região ampliou seu quadro de candidatos eleitos. Quanto ao federal, mesmo que não tenha recebido votos suficientes para escolher um representante, a rejeição caiu, o mesmo critério usado para os votos válidos. Ademais, todos nós, cidadãos, temos autonomia para irmos atrás de deputados federais que não estão na região, mas que tem algum laço conosco e que poderão ajudar a sociedade civil muito em breve. Devemos ir atrás até mesmo daqueles “paraquedistas” que levaram bons milhares de votos sem nunca sequer aqui terem vindo ou enviado qualquer emenda ou projeto de lei que beneficiasse o oeste paulista!

Um fator surpreendente é que agora nossa região terá um representante no Senado pela primeira vez. Muita gente desconhece, mas é o senador que além de propor novas leis e fiscalizar o Executivo, também revisa as decisões da Câmara, de acordo com os interesses dos Estados. Se o Brasil não tivesse um Senado, os interesses dos quatro Estados com mais habitantes poderiam prevalecer nas decisões do país. Não obstante, foram eleitos dois candidatos inéditos para São Paulo.

A UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente) continuará seu trabalho continuo de acompanhamento das ações, projetos de lei e principalmente das posturas dos eleitos e que se propuseram a representar nossa região e não titubeará em levar a publico eventuais desvios nesta conduta, que deve se pautar pela retidão e interesse público, exclusivamente! É através da cidadania que buscaremos o desenvolvimento regional, onde criaremos um ambiente propício ao investimento e participaremos ativamente da vida pública do país. Debater sobre política é uma tarefa que deve ser feita cotidianamente, não apenas nos anos eleitorais. O voto é o poder que temos em mãos para cobrar e exigir nossos direitos!

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste