Adesão ao estilo de vida requer orientação médica

THIAGO MORELLO • 18/07/2018 09:48:00

Mais do que nunca é fácil encontrar ou conhecer alguém que tenha aderido ao vegetarianismo ou ao veganismo. Contudo, quem entende do assunto aconselha aos interessados buscar orientação médica, pensando no bem-estar e na saúde. No que tange à ingestão correta de nutrientes, a nutricionista Sandra Cristina Genaro destaca que, assim como qualquer dieta, vários pontos devem ser levados em conta, para que não haja déficit de aminoácidos.

Antes de mais nada, Sandra, que também é professora do curso de Nutrição da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), lembra que tais dietas não se resumem apenas à não ingestão de carnes ou derivados de origem animal, “é mais uma filosofia de vida”, em que a pessoa, além de se privar do consumo, defende a causa e mantém uma relação concreta com o estilo de vida.

Na adesão ao veganismo ou vegetarianismo, a especialista vê que o maior problema é a falta de orientação. “É preciso tomar muito cuidado no momento de substituir os nutrientes existentes. Nesses casos, a gente não fala somente da quantidade de ingestão, mas também da qualidade”, completa. Ademais, Sandra frisa que muitos seguidores do estilo de vida se influenciam “por modinhas”, e isso atrapalha no desenvolvimento correto, principalmente quando são mais jovens.

“Quem segue o vegetarianismo ou veganismo, apenas por influência midiática, acaba desistindo mais cedo ou até mesmo desenvolvendo problemas de saúde. Esses são os casos de quem não consome vegetais, grãos e oleaginosas, e simplesmente para de comer carne”, expõe a nutricionista. Por isso, ela lembra a importância de procurar um profissional, para que ele possa orientar como seguir os estilos de vida de modo correto e sem malefícios à saúde. Entre as doenças, ela cita: anemia - mais comum; deficiência de cálcio, que pode causar osteoporose; e depressão muscular.

VEGETARIANISMO X VEGANISMO

O vegetarianismo é a nomenclatura dada à pessoa que não se alimenta de carne animal, com ou sem a ingestão de ovos e laticínios. O que difere do veganismo, que possui uma dieta mais restrita, além de outros fatores levados em conta. O vegano ou vegan (como chamam), basicamente é a pessoa que não consome carne, além de nada que provém do animal, como lã, couro, ovos, leite e derivados, mel e etc. Neste estilo de vida, as pessoas ficam mais atentas à produção de roupas, comidas, remédios e cosméticos, por exemplo, por acreditar que o animal, bem como o que ele produz, não é feito para o uso do ser humano. Nos dois estilos, a adesão pode ser motivada pela religião, ética, preocupação com os animais e saúde. Além disso, existe um movimento voltado a quem não é vegetariano e nem vegano, mas busca diminuir o consumo de alimentos de origem animal nas segundas-feiras, a chamada “Segunda Sem Carne”. Os adeptos ao movimento são chamados de reducetarianos.

#SELIGA

A nutricionista Sandra Cristina Genaro ainda deixa algumas dicas e instruções para quem quer seguir o veganismo ou vegetarianismo, e àqueles que já são adeptos:

INTERAÇÃO NEGATIVA

Quando o corpo para de ingerir carne, seja qual ela for, ocorre um déficit de proteína. Essa falta deve ser compensada com a ingestão de outros alimentos, no entanto, alguns deles possuem uma interação negativa, quando ingerido com outros. É preciso verificar se a alimentação está sendo correta, logo, se nenhuma comida está interferindo na absorção de algum nutriente rico em outro.

IDADE CORRETA

Não há uma idade certa para iniciar o veganismo ou vegetarianismo. Qualquer pessoa pode optar pelo estilo de vida, desde que seja da forma correta. Entretanto, quanto mais nova a pessoa, maior a chance dela ser prejudicada, caso não tenha orientação. Sendo assim, faz-se ainda mais necessário um parecer médico, para que a criança ou adolescente possa aderir à dieta, sem que isso o prejudique, uma vez que estão em fase de crescimento.

FAZ BEM OU MAL?

Alguns estudos dizem que diminui a incidência do câncer. Outros que não muda em nada. O que precisa ter mais cuidado écom a ingestão de mais agrotóxicos (mais veneno), com o consumo maior de frutas, legumes e verduras. Mas, na verdade, se faz bem ou se faz mal é como a pessoa vai seguir, isso levando em conta qualquer dieta. Se quiser uma boa saúde, todo estilo de vida e alimentação deve ser feito de forma equilibrada e com orientação médica. Esse é o segredo para ter sucesso.

PERFIL

                                                                Divulgação

Nomes e idades: Carolina Cavalheiro Pereira Martins, 18 anos, e Thais Cavalheiro Pereira Martins, 17 anos

Curso e ano: Ensino médio, 3º ano

Faculdade: Esquema Único Poliedro

Cidade de origem: Presidente Prudente

O que motivou vocês a levarem esse estilo de vida? (Thais é vegetariana há 4 anos e Carol há pouco mais de 2 anos)

Thais: Sempre amei e amo animais, e houve dias em que comecei a me questionar porque alguns eu amava, mas outros eu comia. Foi então que comecei a assistir alguns documentários e fortaleceram minha convicção. Resolvi parar de ingerir todo e qualquer animal.

Carol: A exemplo da Thais, que já era vegetariana um ano antes de mim, comecei a parar para pensar no motivo de ela ter tomado essa decisão. Assistir os documentários, pensar nos animais que tínhamos e temos em casa também pesou bastante na ideia. Além da saúde, pensando numa forma diferente de ingerir proteína de outra forma e prezando pelos animais.

Como é a alimentação de vocês no dia a dia?

Carol: O dia a dia é a coisa mais simples. Aqui em casa todo dia tem abóbora. Gostamos muito. E aí variamos, mas são sempre legumes e feijão. E é muito mais prático, não tem aquela coisa de congelar, descongelar, como vai preparar. É só tirar da geladeira, lavar e temperar ou então cozinhar.

Thais: Muitas pessoas pensam que quando o indivíduo é ovo-lacto-vegetariano ou vegano, a alimentação é restrita e passam até a se preocupar com a quantidade de proteínas ingeridas. Todavia, a alimentação de quem se adapta a ser assim é riquíssima. Novos paladares nascem, estimula a inventarmos mais com legumes e verduras que a natureza tem.

Vocês tiveram alguma dificuldade ao longo da escolha e desses anos, de modo que pensaram até em desistir?

Thais: Nunca pensei em desistir. Nunca senti vontade de comer carne novamente, porque isso é bem claro na minha vida. Sou decidida nisso e é um sentimento de altruísmo que excede qualquer vontade! Não tive dificuldades para me adaptar, pois eu sempre gostei muito desse tipo de dieta alimentar mais rica em vegetais. O único problema é a aceitação das pessoas de fora, elas não entendem muito e muitas vezes implicam.

Carol: Desde que me tornei vegetariana, nunca pensei em voltar a comer carne. Sobre a dificuldade, encontramos algumas vezes ao sair. Em alguns restaurantes não tem muita opção, então, acabamos ficando no arroz e salada. Mas se vamos ao shopping, por exemplo, ou em um self-service, encontramos tudo que precisamos e gostamos. A variedade é maior.

Quais dicas vocês deixam para quem gostaria de se tornar vegetariano ou vegano?

Carol: Acho que é a pesquisa. Infelizmente não temos muitas fontes, isso não é algo tão falado por causa da nossa cultura não ser essa, mas pesquisando se encontra tudo que é necessário saber. Outra dica é buscar comer legumes, verduras e frutas. Não trocar a carne por carboidratos. Mesmo que não tenha costume de comer, comece aos poucos, e vai apreciando, se acostumando, mudando os temperos.

Thais: Faça sempre exames médicos para manter o controle da saúde, porque muitos organismos demoram a adaptar-se. Desenvolva a oportunidade de descobrir novos sabores. Seja criativo. Mantenha sempre a tranquilidade quando vierem te atacar por ter um estilo de vida diferente. Faça isso por você, pelos animais e pelo planeta!

DICAS DE LEITURA

                                                                     Divulgação

COMER ANIMAIS

Lançado em 2011, Comer Animais é a primeira obra de não ficção do norte-americano Jonathan Safran Foer, do aclamado “Extremamente Alto, Incrivelmente Perto” e de “Tudo se Ilumina”, livros que se tornaram longas para o cinema. Nesse trabalho íntimo, o autor conta como se tornou vegetariano após o nascimento de seu primeiro filho, visto que até então apenas reduzia esporadicamente o consumo de carne. Foer relata experiências pessoais (como uma “invasão” a uma fazenda junto a ativistas contra maus-tratos a animais) e mergulha no universo da agricultura industrial nos Estados Unidos. O escritor aborda as relações entre o meio ambiente e o consumo de carnes e sua criação intensiva trazendo dados, pesquisas, relatos e denúncias a respeito de como esse sistema funciona. Uma excelente leitura para aqueles que estão pensando em aderir a um estilo de consumo alimentar sem carnes, mas precisam de um “empurrãozinho”.

Ficha técnica

Autor: Jonathan Safran Foer

Editora: Rocco

Páginas: 320

Preço: R$ 31,10

AGENDA

AMANHÃ

Literatura: Quintal da Infância

Local: Área de convivência do Sesc Thermas

Endereço: Rua Alberto Peters, 111 – Jardim das Rosas

Telefone: 3226-0400

Horário: 19h

Convite: Grátis

Atividade: Neste espetáculo, Jean e Joana Garfunkel falam da etapa mágica da vida que é a meninice, a fim de trazer marcas de um tempo que fica para sempre na memória afetiva. O roteiro é costurado com a linha sutil que une a música à literatura. As canções são de Chico Buarque, Vinicius de Moraes, Toquinho, de Jean e Paulo Garfunkel, além de ricas páginas do nosso folclore. Os textos são de Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Mário Quintana e Guimarães Rosa.

TODO DOMINGO (ATÉ 29/07)

Show: Vinyasa Yoga

Local: No Quintal do Sesc Thermas

Endereço: Rua Alberto Peters, 111 – Jardim das Rosas

Telefone: 3226-0400

Horário: 10h

Convite: Grátis

Atividade: Também conhecida como power yoga, é uma prática que combina a execução das posturas com a respiração. É considerada uma forma mais aeróbica de praticar ioga, gerando calor e permitindo condicionamento cardiovascular.

QUARTA-FEIRA (25/07)

Show: Lucas Silveira: Como Viver de Música em 2018

Local: Área de convivência do Sesc Thermas

Endereço: Rua Alberto Peters, 111 – Jardim das Rosas

Telefone: 3226-0400

Horário: 18h30

Convite: Grátis

Atividade: Nascido em Fortaleza (CE), mas criado em Porto Alegre (RS), Lucas é guitarrista e vocalista da Fresno, banda há 19 anos na cena da música brasileira. Neste bate-papo proporcionado pelo Sesc, ele conta suas experiências, erros e acertos na condução de sua carreira com a banda e em seus projetos solo de forma independente.

NA BALADA

                                                    Fotos: Arquivo pessoal

Larissa Floriano, na Festa do Macario

Larissa Floriano, Isabella Cunha e Pedro Caseiro

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste