LIÇÕES DE SAÚDE O seu bebê se exercita?

 07/08/2017 12:30:01  - Belmiro d’Arce

A exercitação física do corpo, a realização de movimentos, está entre as atividades indispensáveis para uma vida saudável, sendo estímulo absolutamente necessário para o desenvolvimento de todas as funções orgânicas: cardiocirculatórias, respiratórias, digestiva, excretora, etc. Para o bebê, em seu primeiro ano de vida, essa importância é especial por constituir a instalação de um padrão, que servirá de alicerce para toda vida. Assim, a atividade física deve ser adequadamente estimulada desde o nascimento. Para isso, a casa é a academia e os pais são os instrutores responsáveis por conduzir esse processo. Basta proporcionar ao bebê as condições certas para que ele desenvolva, naturalmente, as aptidões motoras esperadas: controlar a cabeça, as mãos, os braços, o tronco, o quadril, rolar, sentar, rastejar, engatinhar e andar, com excelentes condições de força, destreza, equilíbrio, coordenação, orientação espacial, flexibilidade.

 

EXERCÍCOS ESSENCIAIS AO BEBÊ

Duas simples ações são essenciais para que a criança desenvolva bem suas habilidades motoras: ser colocada de bruços, desde o primeiro dia de vida, e ser colocada no chão, “viver no chão”, a partir dos 4 meses de idade.

 

O EXERCÍCIO DE CADA IDADE

A postura de bruços permite que o recém-nascido realize seu exercício mais importante: a extensão da cabeça, que é o início do processo e o preparo para aquisição de todas as suas próximas habilidades.

 

ORIENTAÇÃO EQUIVOCADA

Infelizmente, a orientação equivocada de que a posição de bruços é perigosa tem feito com que muitos pais não adotem essa postura, privando a criança dos exercícios que deveria realizar, e limitando suas aquisições motoras.    

 

AQUISIÇÃO NATURAL

Manter a criança no chão, frequentemente, a partir dos 4 meses de idade, permite à ela realizar os mais variados movimentos e diferentes posturas, por si mesma, sem ser dirigida, na verdade, uma fantástica e natural academia de exercícios físicos.

 

PREJUÍZO PARA TODA VIDA

Muitas crianças tornam-se adultos sem boas aptidões motoras porque não puderam exercitar os movimentos e posturas de cada fase. Pais, por insegurança, não colocam as crianças no chão e as mantêm confinadas em colos, cadeiras, carrinhos, sem possibilidades de treinar o corpo e impedidas de desenvolver suas habilidades.   

 

AMPLOS BENEFÍCIOS

O bom desenvolvimento motor extrapola a dimensão do corpo, influi no aspecto emocional, e contribui para formação da autoconfiança e da independência da criança e do futuro adulto.  

 

AQUISIÇÕES EM SÉRIE

Mantido no chão, o bebê inicia os movimentos de rolar, que vão resultar no domínio do tronco, sentar e, na sequência, rastejar, engatinhar, colocar-se de pé com apoio, andar com apoio e, ao final, andar sem apoio. Cada aptidão adquirida prepara a conquista da seguinte.

 

“Muitas crianças tornam-se adultos sem boas aptidões motoras porque não tiveram oportunidade de exercitar os movimentos e posturas próprios de cada idade”

 

APRENDIZADO INSTINTIVO

Nada precisa ser orientado, nem conduzido, basta manter a criança no chão, claro, em ambiente seguro, para que ela, instintiva e naturalmente, faça sua parte, de maneira perfeita.

 

OS RESULTADOS CONFIRMAM

Tenho tido a grande felicidade de ver muitas crianças alcançarem graus excelentes de desenvolvimento motor, coordenação, destreza, equilíbrio, independência e autoconfiança, como resultado dessas práticas simples, porém, tão importantes.

Comentário