Paulo Miguel - Encontro ocorreu no Centro Cultural Matarazzo e reuniu aproximadamente 200 pessoas

Foto: Paulo Miguel - Encontro ocorreu no Centro Cultural Matarazzo e reuniu aproximadamente 200 pessoas

5º ENCONTRO

Workshop debate inserção de policiais na política

Comissão de Estudos de Assuntos de Interesses dos Policiais Militares do Estado de São Paulo esteve em Prudente ontem e conversou com cerca de 200 pessoas

  • 01/09/2019 05:17
  • GABRIEL BUOSI - Da Reportagem Local

A CEPM (Comissão de Estudos de Assuntos de Interesses dos Policiais Militares do Estado de São Paulo) realizou na manhã de ontem, em Presidente Prudente, u 5º workshop com o tema “O policial na política”, no Centro Cultural Matarazzo. Com um público estimado de aproximadamente 200 pessoas, a organização afirma que a intenção era, com o auxilio de palestrantes convidados, expor a importância de integrar o papel dos policiais na sociedade dentro da governança pública.

O presidente da CEPM, Paulo Roberto Galindo Torres, expõe que a comissão foi criada em 2017 com o intuito de, inicialmente, defender os direitos dos militares, que com o passar dos meses ganhou espaço em todo o Estado, principalmente com a elaboração de workshops, como o de ontem, voltado para o tema em questão.

“O militar sofre uma pressão social muito grande e acaba se isolando da política por consequência dessa cultura. Por isso, queremos inserir esse profissional na política por uma questão de força no contexto nacional, para que possamos ganhar voz, já que todos os segmentos da sociedade têm representantes na política”, expõe. Por fim, finaliza ao dizer que é preciso mostrar que além do papel que já desempenha, o profissional da segurança também deve ser visto como um amigo da sociedade.

O segundo tenente de Presidente Prudente, Cláudio de Souza, de 53 anos, foi um dos participantes. Para ele, a iniciativa é importante, pois ela partiu da percepção da “inércia” dos policias em relação à política e da vontade de mudar tal cenário. “Essa condição nos deixa ter uma vida como subcidadãos, e a partir do momento que despertamos para a realidade do país em que vivemos, se vê a importância da nossa presença na política”. Para ele, o ideal seria a inserção de policiais em todos os poderes.