Eleições gerais

Voto é facultativo a 12,3% do eleitorado regional

Dado do TSE mostra que a porcentagem é a soma de 78.058 idosos com mais de 70 anos e 4.137 jovens de 16 e 17 anos que optam pelo sufrágio

  • 03/08/2018 04:02
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

Pelo menos 82.195 eleitores da 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo, que é a região de Presidente Prudente, possuem a chance de escolher se vão ou não às urnas nas Eleições Gerais de 2018, conforme dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), representando, assim, 12,39% do total, que neste caso somam 663.113 eleitores nos 53 municípios da região. A maior parcela é composta pelos idosos, com 78.058 pessoas (11,77%) acima de 70 anos, quando o voto passa a ser facultativo, seguido dos jovens de 16 e 17 anos, que representam 0,62% do total de pessoas que devem ir às urnas. Conforme o chefe de cartório da 101ª Zona Eleitoral, Fabiano de Lima Segala, diferente do que ocorre com os jovens, o público idoso apresenta números expressivos por “fazer questão” de estar em dia com a Justiça Eleitoral. “Percebemos essa vontade que eles têm, por exemplo, com o cadastramento da biometria. Foram muitos que, mesmo sem precisar, compareceram e devem participar das eleições. O voto deles faz a diferença e pode gerar resultados”, esclarece.

Os números do TSE foram divulgados na quarta-feira e fazem parte de um novo portal do Tribunal e que trata de dados estatísticos do eleitorado em todo o país. Dos 663.113 eleitores presentes na tabela de faixa etária, além dos 10 considerados inválidos, 4.137 estão dentro da faixa etária compreendida entre 16 e 17 anos, quando o voto não é obrigatório; 202.936 possuem idades entre 18 e 34 anos; além de 296.774 eleitores que possuem de 35 a 59 anos. Os idosos que ainda possuem a obrigatoriedade do voto estão entre 60 e 69 anos e na região são representados por 81.208 pessoas. Já os idosos que passam a ter o voto facultativo somam 78.058 eleitores, 11,77% do total. Ainda no levantamento, há dados separados por gênero, quando a região é maioritariamente composta pelo público feminino no eleitorado, com 345.925 mulheres, representando 52,17% do total, e 316.241 homens, sendo 47,69% do eleitorado. Ao todo, 953 não tiveram o sexo informado. A diferença de seis pessoas para a tabela de faixa etária se dá, possivelmente, pela atualização constante dos dados no site, conforme o TSE.

Cidadania

Sobre a representatividade do público idoso e que não possui a obrigatoriedade de votar, o chefe de cartório informa ver com bons olhos a situação e relata que essa é a realidade encontrada nos cartórios. “A gente percebe que eles gostam de praticar a cidadania e fazem questão de manter os dados atualizados e, inclusive, cadastrar a biometria”, esclarece. Fabiano lembra que, diferente do que ocorre com o público jovem que não tem o voto como obrigação, a participação dos idosos é expressiva e pode influenciar nos resultados finais. Já sobre o público jovem, entre 16 e 17 anos, ele lembra realmente ser baixa a procura, que já apresenta números melhores do que anos anteriores, mas informa que deveria ser grande a participação deste público, por ser “primordial” ao futuro do país. “Isso expõe a baixa consciência em relação à importância que o voto tem. O ideal seria que todos os que possuem a possibilidade estivessem nas urnas em outubro”, pontua.

Sobre o número de mulheres que devem votar, maioria na região, a presidente da BPW-PP (Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais de Presidente Prudente), Karina Peres, afirma que os dados são resultado de uma luta que teve início há muitas décadas, mas que mostra ter valido à pena todo o esforço. “Não lutamos apenas para ter direito ao voto, mas para a representatividade. Vejo que as mulheres, de forma geral, têm uma responsabilidade ainda maior e possuem consciência do poder que é o voto”.

Karina informa ainda que a tendência é de que os números aumentem ainda mais, mas ela finaliza dizendo que, além de votar, o ideal daqui para frente era que a mulher tivesse espaço dentro dos cargos pleiteados, que é uma tendência já presente. “Queremos ir além e representar a nossa sociedade. Esse cenário ainda não é satisfatório, basta analisar os candidatos e ver que a maioria é homem. Não queremos ser mais, queremos ser iguais”.

Quantidade de eleitores aptos a votar por faixa etária
Município Inválido 100 ou mais 95 a 99 90 a 94  85 a 89  80 a 84 75 a 79  70 a 74 65 a 69 60 a 64  55 a 59 50 a 54 45 a 49  40 a 44  35 a 39 30 a 34  25 a 29 21 a 24 20 19 18 17 16
Adamantina - 5 73 203 442 748 1.019 1.312 1.641 2.073 2.382 2.598 2.357 2.337 2.508 2.553 2.456 1.838 439 343