Comércio

Volta às aulas eleva vendas no comércio em 30%

BEATRIZ DUARTE - Especial para O Imparcial • 06/02/2018 13:19:35

Comerciantes de estabelecimentos nos bairros universitários de Presidente Prudente retomam suas atividades com o início do ano letivo, com a indicação de até 30% no aumento das vendas. Sobretudo, aguardam a passagem do feriado de carnaval para a normalização do movimento diário.

Segundo Elisa Clovis Marino da Silva, proprietária da Lanchonete e Restaurante Tio Gripa, próxima do campus II da Unoeste, o local é aberto somente no período de aulas, pois o movimento durante o recesso é menos que 10% do total. “Trabalhamos apenas em família e já tentamos ficar abertos no mês de dezembro, ou nos finais de semana e, nesse dia, vendemos apenas um item”. O estabelecimento inicia o funcionamento todos os dias às 7h e encerra às 23h. De acordo com a comerciante, a equipe é sempre a mesma e não existe troca de turno, outro motivo para não abrir durante as férias. “Fazemos o máximo que podemos nos meses anteriores para ter receita armazenada para depois”, esclarece.

Com o retorno das aulas pela manhã, ela comentou que o movimento intenso só começa a partir das 11h, horário de almoço. Mas acredita que, no período da noite, o estabelecimento deve alcançar lotação máxima. “A noite também temos os alunos de outras cidades e, junta com os que veteranos que vêm fazer a recepção, esse é o nosso pique”. Para ela, as vendas começam aumentar após o feriado de carnaval, pois os estudantes de fora, ou que estão viajando, deixam para voltar um pouco mais tarde.

De acordo Pamela de Paula Silva, responsável pelo restaurante Tiago’s Grill, também próximo ao campus II, a volta das aulas representa o aumento de 30% nas vendas do estabelecimento, que fornece a entrega de marmitas, prato feito e o serviço de self-service. Segundo ela, o foco do comércio é atender os moradores de vários bairros e, por isso, não observa a queda da frequência no recesso escolar. “Essa primeira semana os estudantes ainda estão chegando, se habituando e se conhecendo, eles não procuram tanto por alimentação. Isso vai acontecer só depois do carnaval’, comenta.

 

De olho nas vendas

Para a economista Edilene Takenaka, o retorno às aulas traz um aumento considerável de moradores, que são os alunos que se estabelecem na cidade, mas também amplia a rotatividade de jovens que permanecem na cidade no período das aulas. Com isso, o comércio em geral, no entorno das instituições de ensino superior, prevê aumento nas vendas.

A especialista ainda ressalta que o proprietário deve atentar para as necessidades específicas desse público consumidor. Se ele efetivamente passou a ser um morador da cidade ou se vai passar apenas um período da semana. “As férias se caracterizam por uma redução do movimento local, isso é normal. Os

comerciantes devem ter muito controle sobre os custos e os estoques para que não haja desperdícios”, norteia.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste