Cotidiano

Violência sexual contra criança é inadmissível e precisa ser extinta

09/01/2019 05:02:00

Não são raras as vezes em que noticiamos casos de violência sexual contra crianças. E ainda que fossem incomuns, da mesma forma, sustentaria o sentimento de aversão e o grito por justiça para que estas ocorrências inescrupulosas sejam banidas da nossa sociedade. Não é aceitável que a inocência destes pequenos continue sendo corrompida e manchada de dor.

O que entristece ainda mais o cenário é que a maior parte dos casos dos abusos é registrada dentro da própria família ou comunidade em que a criança vive. Estas pessoas são adultos em que o menor deposita confiança, tem admiração, carinho ou mesmo referência de cuidado, proteção, zelo...

O abuso sexual infantil precisa ser extinto e a população tem importante papel neste feito. Há muitos casos não denunciados ao Conselho Tutelar e a impunidade gera incidência. É inadmissível ser omisso diante de tanto horror. As denúncias são fundamentais contra quem quer que seja. Não podemos virar as costas, fingir que não é conosco e simplesmente deixar que os criminosos continuem fazendo vítimas.

O crime sexual gera aversão contra quem quer que seja, mas em face de um ser que tem força física e capacidade de defesa menor é ainda mais asqueroso. Onde foram parar os valores? A criança vive de sonhos e é sabido que para seu desenvolvimento saudável é indispensável uma infância bem construída, onde não só os direitos constitucionais sejam garantidos, mas acima de tudo não lhe falte amor.

O conselho recebe denúncias de suspeitas e casos confirmados de abuso e exploração sexual infantil. O denunciante, que é mantido em sigilo, pode expor a situação pelo telefone, carta, pelos Correios, e ao mesmo tempo no balcão de atendimento, que funciona na Rua Napoleão Antunes Ribeiro Homem, 481, no Jardim Marupiara. O telefone é o 3222-4430.

Todos os meses, o órgão acumula uma lista de casos denunciados. E os que não chegam ao conhecimento dos responsáveis para sua extinção e punição aos que os cometem? É hora de um basta. As penalidades contra estes “monstros” devem ser efetivadas. Da mesma forma, as leis não podem ser brandas a ponto destas pessoas ganharem as ruas tão facilmente. É inaceitável que mais crianças e adolescentes continuem frustrados, tomados de traumas e bloqueios que refletem de forma negativa em seu desenvolvimento psicossocial. Denuncie.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste