Cedida/ Grupo de Referência/Luciana L. Pereira: 47 alunos pretendem reviver clássicos de raiz e composições autorais durante a apresentação nesta quinta-feira

ENCONTRO INÉDITO

Violeiro e orquestra do Guri se unem em apresentação

  • 24/04/2019 11:00
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Com objetivo de difusão de músicas genuinamente brasileira, o músico e violeiro Bruno Sanches fará nesta quinta uma apresentação com o Grupo de Referência da Orquestra Sinfônica do Projeto Guri, com regência de Francis Auresco. Ao todo, 47 alunos fazem parte do grupo que pretende reviver clássicos de raiz e composições autorais do violeiro. Para a organização, esta parceria oportuniza o contato com outros instrumentos não tão comuns nos arranjos musicais. A apresentação ocorre nesta quinta-feira, às 20h no Teatro Municipal “Paulo Roberto Lisboa”, Centro Cultural Matarazzo.  A entrada é gratuita. 

A apresentação é justamente a “música pela música”, conforme relata o músico Bruno Sanches, 31 anos. “É uma busca minha enquanto violeiro mostrar a versatilidade da viola. Porque ela sempre esteve ligada dentro da música raiz e, para mim, é uma missão levar todas as possibilidades que ela tem enquanto instrumento”, destaca Bruno que acrescenta que para os jovens do Guri, a importância desta junção em ter uma viola caipira como solista em uma orquestra é algo “muito raro, pois o mais comum é seguir dentro da tradição europeia com violino ou piano”.

No repertório de apresentação, a orquestra sinfônica fará uma exposição solo, seguida com Bruno a qual pretendem tocar clássicos como “saudade da minha terra, e menino da porteira”, além de músicas de autoria própria e composições do Ivan Vilela, violeiro e professor. 

De acordo o regente da orquestra sinfônica Francis Auresco, 38 anos, receber um músico da região, que estudou na Escola Municipal de Artes Professora Jupyra Cunha Marcondes, serve como o estímulo para os jovens que querem seguir uma carreira musical e as possibilidades que existem de aprimoramento. Quanto à oportunidade de conhecimento, o maestro declara que esta participação visa oportunizar o contato com outro tipo de instrumentação, pois considera que hoje em dia não é comum ver uma viola caipira fazendo participação com uma orquestra sinfônica e que esta atividade visa justamente mostrar que existe a possibilidade de tocar com vários estilos músicas e com diferentes formações. “Para nós, é um privilégio grande ter um músico reconhecido participando com os alunos.”

Violeiro e Compositor

Bruno Sanches é um músico de espírito andejo, que viaja por tempos e lugares diversos através de suas composições, arranjos e interpretações. Do Barroco às Barrancas do Rio, das Modinhas Imperiais à Moda de Viola, da MPB ao Rock, sua viola é caipira, brasileira, latino-americana, euro americana.

Aos 17 anos se formou no curso técnico de instrumentista da Escola Municipal de Artes Professora Jupyra Cunha Marcondes e aos 19 ingressou no curso de música da ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo), onde descobriu sua paixão pela viola de dez cordas, instrumento com o qual consolidou sua carreira musical. Através das diversas experiências com este instrumento, Bruno se tornou um artista que busca conhecer a alma brasileira através da música, da devoção a São Gonçalo, dos fandangos e das folias. Seu espírito andejo faz com que percorra diversas estéticas musicais com sua viola.

No dia 26 de abril entra em todas as plataformas digitais o disco solo “Do barro as barrancas do rio”, que tem como objetivo mostrar a com a viola que pode tocar música barroca, clássica ou mesmo a música raiz.

Orquestra

O Grupo de Referência da Orquestra do Projeto Guri leva esse nome por ser uma unidade de referência para alunos da região de Presidente Prudente. De acordo com o regente, ela é formada por alunos e ex-alunos do Projeto com idade até 21 anos. Para ingressar na orquestra sinfônica existe um teste de seleção que efetivamente proporciona uma qualidade musical mais elevada.

A intenção da parceria, segundo Bruno, foi após uma apresentação com grupo de cordas da Escola de Municipal de Artes, e que já estava nos planos à possibilidade de fazer um conserto com a orquestra do Grupo de Referencia e que através da equipe gestora conseguiram efetivar a oportunidade. “Para mim é um oportunidade maravilhosa porque é raro a conseguirmos tocar em uma orquestra como solista. Não é uma coisa comum porque demanda muito trabalho e pessoas envolvidas.”

Serviço

A apresentação acontece no dia 25 de abril, às 20h no Teatro Municipal “Paulo Roberto Lisboa”, Centro Cultural Matarazzo.  A entrada será gratuita.