Arquivo - Conforme Elaine, neste ano, a VEM já analisou 27 possíveis casos da doença em Prudente

Foto: Arquivo - Conforme Elaine, neste ano, a VEM já analisou 27 possíveis casos da doença em Prudente

INFLUENZA A

Vigilância investiga outras 2 mortes por H1N1

Caso mais recente registrado pelo órgão envolve um jovem de 22 anos, morador dos distrito de Montalvão, em Prudente, que morreu na última quinta-feira

  • 16/07/2019 04:02
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

A VEM (Vigilância Municipal Epidemiológica) atualizou o cenário da Influenza A H1N1, em Presidente Prudente, que hoje lida com a investigação de mais três supostos casos da doença, entre eles duas mortes. Até o momento, o município já confirmou um óbito por conta do vírus, no final do mês passado, e já analisou, ao todo, 27 possíveis ocorrências da patologia desde o começo do ano. Ainda ontem de tarde, outros quatro possíveis casos foram descartados pelo órgão.

O caso mais recente envolve um jovem de 22 anos, morador do distrito de Montalvão, que faleceu na última quinta-feira. De acordo com a supervisora da VEM, Elaine Bertacco, além da possibilidade de H1N1, que até a confirmação é tratada como síndrome respiratória aguda grave, dengue e hantavírus também seriam as possíveis causas da morte do rapaz. “A hipótese entrou com essas três notificações, então agora precisa aguardar”, completa.

O outro suposto caso de óbito é de um homem de 55 anos, que morreu em maio, segundo a supervisora. E quanto à ocorrência investigada, também se trata de outro homem, que não teve a idade divulgada, mas que segue internado em uma unidade de saúde do município.

Em todas as situações, Elaine explica que as amostras de sangue foram colhidas e encaminhadas ao Instituto Adolfo Lutz, na capital paulista, que é quem analisa e atesta a causa dos óbitos. “Não existe um tempo certo para que os resultados saiam, pois depende do próprio instituto nos conceder a informação e confirmar a situação”, completa s supervisora.

Trabalho e orientação

À reportagem, Elaine detalha que uma vez que a causa morte por conta da H1N1 seja confirmada, o trabalho de orientação com a família é iniciado. Contudo, ela lembra que a atuação é diferente dos casos de dengue, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. “Quando tem a dengue, é feito bloqueio e nebulização. Já ao se tratar de uma gripe, a prevenção vem da mesma forma: lavar sempre as mãos, principalmente após tossir e espirrar, utilizando água e sabão e álcool 70%”, frisa. E complementa: “fazer uso da etiqueta respiratória, isto é, tossir e espirrar na dobra do cotovelo e utilizar lenço de papel”.

O H1N1 causa os mesmos sintomas das outras versões do vírus influenza: febre alta, mal-estar, dor de cabeça, espirros e tosse. A diferença é que ele age de forma mais agressiva e também vem com o risco de complicações.

Primeira morte

Como noticiado por esse diário, a primeira morte por conta da doença em Prudente foi confirmada no final no mês passado, pela VEM. Na ocasião, a vítima foi um homem de 53 anos, que faleceu no mês de maio. Além do óbito, a VEM confirmou também outros quatro casos da doença em Prudente.