Verminoses podem ser evitadas

Prudente

| BEATRIZ DUARTE - Especial para O Imparcial

Você já deve ter ouvido falar sobre verminoses, ou conhece alguém que já teve. José Wilson Zangirolani, médico infectologista de Presidente Prudente, explica que o termo é utilizado para qualquer tipo de infecção causada por um grupo de parasitas, que geralmente se alocam ao intestino. O tratamento é via medicação, mas a prevenção deve ser o cuidado com a higiene pessoal e saneamento básico.

De acordo com o especialista, existem vários tipos de verminoses, as mais conhecidas pela população são: amarelão, lombriga, solitária e giardíase. A contaminação das doenças está relacionada à falta de higienização e saneamento básico. “Quando a pessoa bebe água sem tratamento, não realiza uma higiene correta das mãos e ingere alimentos que não são devidamente lavados, ele se torna suscetível a ingerir os ovos de parasitas no seu organismo”, diz.

Sobre os sintomas, ele comenta que cada tipo de verminose possui suas características específicas, contudo, os casos mais recorrentes são de anemia, fraqueza e alteração intestinal.  Já o procedimento de diagnóstico pode ser identificado através do exame de fezes aplicado nos consultórios. A respeito da frequência de casos, José Wilson conta que como não é uma doença de notificação compulsória, onde os médicos prestam conta à saúde pública, ele acredita que as verminoses ainda são constantes, mas não na mesma medida que antigamente. “Apesar de todos os problemas, hoje nós temos alguma melhorias”.

Questionado sobre as pessoas mais suscetíveis para adquirir a doença, ele comenta que a verminose está relacionada ao ambiente que o individuo convive. “Na maioria das vezes, pessoas que vivem em zona rural ou periferias com risco social, ou seja, não possuem água encanada ou energia, estão mais propícias, o que já não acontece com tanta frequência para a população que possui boas condições de sobrevivência”.

 

Verdade ou mito?

O especialista explica que antigamente havia uma cultura enraizada na sociedade de que anualmente as crianças deveriam tomar doses de remédio vermífugo, utilizado no tratamento da verminose, e com isso, as mulheres iam constantemente às farmácias. Hoje, essa prática é condenada pela maioria dos médicos, pois a partir de uma suspeita da doença, o recomendável é a consulta com um médico especialista que vai indicar o tratamento correto.

José Wilson ressalta que o tratamento é feito via oral por medicamentos e que possui total eficácia, mas é comum que a doença volte se ela permanecer em ambientes inadequados. “Como existem vários tipos de parasitas, assim também ocorre com as complicações, mas se o paciente não busca por ajuda, a verminose pode ocasionar desnutrição, diarreia crônica e, em casos de pessoas com problemas graves de imunidade, pode levar a óbito, algo que não é comum”.

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste