Caso da saúde

Vereadores protocolam denúncia no MPT, conselhos e sindicatos

  • 20/05/2019 19:08
  • Da Redação

Na quinta-feira e sexta-feira, a Frente Parlamentar em Defesa da Saúde da Câmara Municipal de Presidente Prudente, presidida pelo vereador Demerson Dias, Demerson da Saúde (PSB), juntamente com o vereador William Leite (PPS) solicitou fiscalização para se “averiguar a possível sobrecarga dos profissionais” que atuam nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e nos Pronto-Atendimentos (PAs).

Os vereadores protocolaram ofícios no MPT (Ministério Público do Trabalho), no MPE Ministério Público do Estado), Vigilância Sanitária de Prudente, Coren (Conselho Regional de Enfermagem), Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo), Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos dos Serviços de Saúde de Prudente e Região, além do Sindicato dos Médicos em Prudente. Segundo a denúncia, há informações da susposta redução no quadro de funcionários nestes locais, bem como solicitação de atestados médicos em função de pressão sofrida diariamente “no esforço incomum e desumano em ter que atender número expressivo de populares sem que o quadro de cada unidade e turno sejam completos”.

Além destes locais, os vereadores protocolaram ofício com a solicitação na quarta-feira, na sede do Cerest (Centro de Referência de Saúde do Trabalhador de Presidente Prudente. Na oportunidade, a Prefeitura se defendeu e disse que não houve diminuição no quadro, mas remanejamento à UPA  da Zona Norte, por conta de alta demanda.

Com Assessoria de Imprensa