ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

VEM promove capacitação sobre o sarampo em Prudente

Atividade envolveu 110 colaboradores das unidades de saúde, sobre os sinais e sintomas da doença, bem como as tratativas repassadas pelo Ministério da Saúde

  • 06/09/2019 05:29
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Reportagem Local

Durante dois dias, a VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) de Presidente Prudente realizou uma capacitação para 110 profissionais de medicina e enfermagem das unidades de saúde, sobre os sinais e sintomas de sarampo, bem como algumas tratativas técnicas repassadas pelo Ministério da Saúde. A ação, finalizada ontem, levou em conta os cinco casos positivos da doença no município, cujo cenário já é considerado como um surto, e o alerta para prevenção dos grupos prioritários.

Segundo a supervisora da VEM, Elaine Bertacco, a medida se faz necessária porque alguns profissionais nunca tiveram contato com a doença, que estava há mais de 20 anos erradicada no município, principalmente após a confirmação de dois casos autóctones. “Muitos profissionais nunca tiveram contato com a doença ou com pacientes com sarampo. Então, alguns sabem sobre a doença somente através da literatura e não junto ao paciente/caso. Sendo assim, o quanto mais cedo detectarmos e notificarmos o caso, mais cedo podemos adotar as medidas de prevenção, que é o bloqueio vacinal e a varredura”, explica.

Outro alerta feito na capacitação é que se trata de uma doença altamente contagiosa, a qual tem 72 horas para agir, achar os comunicantes e entrar em contato para que seja feita a imunização. “Um caso confirmado de sarampo pode ser transmitido para mais 20 pessoas. Então, a preocupação a cada dia vai aumentando”, explica Elaine.

Os casos

O que chama a atenção, segundo a VEM, é que dos três novos casos notificados, dois são autóctones, ou seja, contraídos em Prudente, e foram confirmados em mulheres, de 24 e 26 anos, que residem na Vila Liberdade e no Jardim Itaipu. Por sua vez, o terceiro caso é de uma catalogação importada de São Paulo, que acometeu uma menina de 1 ano e 11 meses, moradora do Residencial Anita Tiezzi, que, segundo o órgão, não contava com nenhuma dose da vacina. 

Conforme acompanha este período, no dia 23 de agosto foi diagnosticado através de laudos do IAL (Instituto Adolpho Lutz), o primeiro caso confirmado de sarampo no município. A vítima é um morador da Vila Aurélio de 30 anos, e o segundo, no dia 30 do mesmo mês, uma gestante de 28 anos que reside no Brasil Novo - ambos os casos foram considerados importados, vindos de São Paulo.

Considerando os casos autóctones e os importados, a supervisora orienta quanto à confirmação correta do endereço pessoal. Isso porque se cria toda uma estratégia em cima daquele endereço para o bloqueio e a varredura. “Há situações em que o caso não foi correspondente, ou seja, passou o endereço de um familiar. Então, é necessário que a pessoa relate onde mora e onde passou para que o trabalho de prevenção possa ser feito. Tudo isso está sendo orientado na capacitação”, acrescenta Elaine.