Eder Mota - Inaldo e Eliseu Sena com seus atletas Fábio Henrique, Maria Victória, Willian e Yoran

Foto: Eder Mota - Inaldo e Eliseu Sena com seus atletas Fábio Henrique, Maria Victória, Willian e Yoran

FOCO ADIANTE

Velocistas lamentam desempenho no Troféu Brasil

  • 03/09/2019 06:23
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

Os atletas prudentinos da Semepp/APA de Presidente Prudente não voltaram satisfeitos com seus desempenhos no Troféu Brasil Caixa de Atletismo, realizado no fim de semana, no CNDA (Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo), em Bragança Paulista. Mas felizes em poder fazer parte de uma competição importantíssima da América Latina. Dos cinco que foram para o evento esportivo, a reportagem conseguiu falar com quatro deles.

Fábio Henrique da Silva Lima, 19 anos, que há oito anos faz parte do atletismo, lamenta que sua participação não tenha sido como esperava. “Mas consegui melhorar minha marca nos 400m [metros] com barreiras. Acho que este ano não irei competir mais. Vou aproveitar para descansar e focar na próxima temporada”, expôs o jovem, que é um dos comandados de Inaldo Sena.

Maria Victória Belo de Sena (200 m e 400 m), que também é treinada por Inaldo, que é seu pai, também não ficou feliz com seu desempenho na competição. “Infelizmente, obtive o quarto lugar, não consegui suprir minhas expectativas. Embora tenha ficado lisonjeada, levando em consideração que é a competição adulta mais forte da América Latina, não foi o suficiente esse quarto lugar”, mencionou.

Willian da Conceição Santos (400 m) diz que foi uma experiência e tanto, porém, a ansiedade atrapalhou um pouco. “Não saímos com uma boa marca e nem uma boa posição, mas estou super feliz por ter feito o índice que me levou ao Troféu Brasil. Volto com um gostinho de quero mais e ano que vem teremos outras oportunidades. Agora é focar nos Jogos Abertos do Interior, que será realizado em novembro, em Bauru [SP], onde tentaremos fazer uma ótima marca para fechar o ano bem”, pontua o velocista de 21 anos.

Este foi o primeiro Troféu Brasil de Yohan Romão Ribeiro, qual ele participou no decatlo -composta por dez provas de atletismo, começando na sexta-feira com cinco e terminando no sábado com a mesma quantidade: 100 m, salto em comprimento, lançamento de peso, salto em altura, 400 m (primeiro dia) e 110 m barreiras, lançamento do disco, salto à vara, lançamento do dardo e 1.500 m (segundo dia).

“Infelizmente não foi o que eu esperava. O que aconteceu, acabei zerando duas provas, o salto com vara e o lançamento do dardo e desisti da última prova que era o 1.500. Então é como se eu tivesse sido desclassificado, não participado da competição por conta da minha desistência. Melhorei algumas marcas, poderia ter melhorado outras, feito uma competição melhor, mas repito: não foi o que eu esperava”, frisa Yoran.

A reportagem não conseguiu falar com o velocista Bruno Lins Tenório de Barros Nascimento, 32 anos, que também esteve na competição.

Os atletas embarcaram na companhia da comissão técnica, composta por Cremilson Julião Rodrigues, o Montanha, Eliseu Viana de Sena e Inaldo Justino de Sena.

Vale lembrar que o Troféu Brasil Caixa de Atletismo é a maior competição de clubes da América Latina e reuniu no fim de semana 740 atletas, de 125 clubes, representando 18 Estados e o Distrito Federal, na cidade de Bragança Paulista.

 

Foto: Cedida

Fábio diz que vai descansar e focar na próxima temporada