Vacinação em idosos

  • 05/03/2020 04:16
  • Sergio Munhoz Pereira

A vacinação é uma das maiores conquistas da humanidade, sendo o meio mais seguro e eficaz de prevenir doenças infectocontagiosas. As vacinas podem ser produzidas a partir de microrganismos enfraquecidos ou mortos. O corpo detecta a substância e produz uma defesa, os anticorpos, que permanecem no organismo e evitam que a doença ocorra no futuro, por meio da memória imunológica.

De maneira geral, todas as vacinas atuais são muito seguras, e é muito melhor e mais fácil prevenir uma doença do que tratá-la. Mas como qualquer outro medicamento, podem desencadear reações ou efeitos indesejáveis. Na maioria das vezes, estes eventos são esperados, inevitáveis e leves, tais como febre, mal-estar ou dores no corpo ou no local de aplicação.

Os idosos precisam se proteger especialmente contra gripe, pneumonia e tétano. Devido às alterações imunológicas ocorridas ao longo do processo natural de envelhecimento, eles são mais suscetíveis ao surgimento de algumas doenças, principalmente as do aparelho respiratório, que aumentam sua incidência especialmente no inverno.

As internações de idosos em hospitais públicos de São Paulo decorrentes de complicações de gripe diminuíram próximo de 62%

Embora o Brasil seja um dos países que mais investem dinheiro público na cobertura vacinal de idosos, ainda observamos alguma resistência para aderir às campanhas. A vacinação não apenas protege aqueles que recebem a vacina, mas também ajuda a comunidade como um todo. Quanto maior for o número de pessoas de uma comunidade protegidas, menor é a chance de qualquer uma delas – vacinada ou não – ficar doente.

A vacinação em idosos está amplamente associada à redução de internações. A inserção da vacinação contra gripe no calendário do Ministério da Saúde resultou em uma importante modificação na utilização dos serviços de saúde pela terceira idade: desde 1999, as internações de idosos em hospitais públicos de São Paulo decorrentes de complicações de gripe diminuíram próximo de 62%.

O país está envelhecendo, porém temos que envelhecer com saúde. O controle das doenças infecciosas também faz parte para que esse processo aconteça com qualidade.

 

 

ÚLTIMAS DO AUTOR

Quimioterapia

  • 06/02/2020 05:47

Prevenir a dor

  • 05/12/2019 04:16
Sergio Munhoz Pereira

Sergio Munhoz Pereira

Sergio Munhoz Pereira é professor da Faculdade de Medicina da Unoeste, campus de Presidente Prudente e autor do blog “Cuidar dos pais em casa”

Contato:

sergiomunhozp@yahoo.com.br

PUBLICIDADE