PREVENÇÃO

Unidade móvel realiza exame papanicolau no Hospital do Câncer

Ação gratuita teve início na quarta-feira e, até o momento, já realizou 200 atendimentos; atendimentos se estendem até hoje, das 8h às 17h

José Reis - Unidade está no estacionamento do Hospital Regional do Câncer José Reis - Unidade está no estacionamento do Hospital Regional do Câncer

O HRCPP (Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente) recebe uma unidade de prevenção móvel da AAPC (Associação de Apoio ao Portador do Câncer) para realização e promoção de exames preventivos de câncer uterino ou popularmente conhecido como papanicolau. A ação, gratuita, teve início na quarta-feira e, até o momento, já realizou 200 atendimentos. A unidade móvel está no estacionamento do hospital até hoje, das 8h às 17h. O esperado, segundo a organização, é o atendimento de 300 mulheres no total.

De acordo com a enfermeira da associação responsável pelos exames, Walma Fontolan Ferraz, 36, o objetivo da unidade móvel é alcançar cada vez mais mulheres que não realizam o exame, ou seja, não vão aos postos de saúde muitas vezes por constrangimento, devido a forma que o exame é realizado.

A principal importância do exame Papanicolau, segundo a enfermeira, é diagnosticar o câncer de colo uterino precocemente, já que isso aumenta a possibilidade de cura. “O principal intuito do exame é diagnosticar o câncer uterino, mas podemos identificar outras DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e bactérias. Ou seja, a importância do cuidado com a parte ginecológica da mulher”.

A enfermeira relata que há uma variação na incidência do câncer de útero, ou seja, desde 27 anos até os 50 anos. “Antigamente tínhamos a parti de 40 e 50 anos, hoje, moças de 27 podem ter o HPV [papilomavírus humano], que é o propulsor do câncer. A relação sexual está acontecendo muito cedo, então se contrai muito cedo também. Muitos casos demoram 10 anos para desenvolver, em outros o câncer aparece muito cedo, pois já tivemos casos de mulheres de 27 anos que já tiraram o útero”.

Encaminhamento

Em casos de diagnósticos positivos após o exame, a associação encaminha para a DRS (Diretoria Regional de Saúde), que irá comunicar o posto de saúde mais próximo da paciente que deverá encaminha-la para o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) ou o HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo para realização de outros exames. “O tratamento depende do diagnostico médico e é de acordo com cada caso. Pode ser uma histerectomia total, ou seja, há uma agressão muito prolongada e eles retiram o colo. Mas caso esteja no começo, o médico faz um acompanhamento da paciente e realiza uma cauterização para não se desenvolver o câncer.”, ressalta a enfermeira.

De acordo com a auxiliar de limpeza, Virginia Augusta Rodrigues da Silva, 37, a facilidade de realizar a prevenção na ação é a oportunidade de estar mais próxima do local onde trabalha.  “É bem mais fácil do que ir ao posto. Eu faço pelo menos uma vez no ano, pois a mulher tem que se prevenir e, sendo gratuito, é muito importante”, ressalta

A importância desse tipo de ação, segundo o presidente da AAPC, Jorge Guazzi, 70, é a prevenção do câncer. “Antigamente o câncer uterino matava 12% e hoje com esses exames reduziu a 2%. Pois toda ação preventiva é boa”, ressalta. A ação presta serviços em mais de 60 municípios da região e, segundo a enfermeira, no ultimo mutirão realizado em outubro de 2018 poucos casos deram positivos em Prudente. Por outro lado, as pacientes diagnosticadas já estão passando por tratamentos.