Sexta-Feira . 22 Fevereiro . 2019
De geração em geração...

Tunico da Vila traz ao palco do Sesc grandes sucessos do pai em show gratuito

Evento contará com a participação especial da instrumentista Adriane Calixto e traz 14 faixas a fim de resgatar a origem do samba

Divulgação/ Zanete Dadalto: Tunico está pela terceira vez na cidade; show irá trazer 14 músicas em homenagem a trajetória de Martinho da Vila Divulgação/ Zanete Dadalto: Tunico está pela terceira vez na cidade; show irá trazer 14 músicas em homenagem a trajetória de Martinho da Vila

Hoje o palco da área de convivência do Sesc Thermas se abrilhanta com a segunda noite do  “Sexta do Samba”. O motivo? “Show Martinho 80 Anos” realizado por Tunico da Vila que traz de volta 14 faixas selecionadas entre os maiores sucessos do pai, o sambista Martinho da Vila. Com participação especial da instrumentista Adriane Calixto, o evento é gratuito e promete, “uma viagem pelo mundo musical que meu pai me proporcionou”, segundo conta o cantor. Com “muitas misturas” que vão desde gêneros angolano, africano a fim de resgatar a origem do gênero samba.

Visitando a cidade pela terceira vez, Tunico admite gostar “muito daqui” e trazer sucessos do pai ao público, é o resultado de “uma influência total” dentro de sua vida musical visto que cresceu “no meio da batucada e do cantar” do patriarca. Nesse contexto, viajou ao lado do pai, conheceu músicos, artistas, se tornou percussionista e, hoje, cantor.  Sendo assim, começou sua vida musical em Guiriri (ES). No meio disso imergiu com grandes nomes do mundo da música brasileira. Dentre eles, Ivan Machado, Alceu Maia, e Tito Puente.

A partir daí, Tunico já esteve por trás de produções de arranjos musicais renomados no meio do cinema, como quando produziu para o diretor Spike Lee, por exemplo. Estrelas como Michael Jackson, Prince e Stevie Wonder também já tiveram videoclipes dirigidos pelo cantor.

 

Carreira

Cantando diversas canções relacionadas a histórias de ancestrais, Tunico conecta sua vivência como músico e o universo cultural no qual está inserido. Tudo isso expressado em shows com ambientes que trazem a tona o samba carioca, terreiros e rodas de samba. Com canções de matriz africana, evidência em seus versos a influência do sagrado, da música nacional e da obra do pai.  Por meio de laços afetivos conversa musicalmente com quem se delicia com as apresentações. Os temas de suas composições giram em torno de tópicos atuais como cotidiano do povo negro, liberdade racial e sensualidade.

O início de suas composições foi em 1944, ano antigo bar do Varandão ao lado de Paulinho da Aba e Agrião. Mais tarde, ao lado de Ana Costa – irmã – e de Agrião, participou do grupo musical “Coeur Sambar”. Hoje, percussionista esteve presente no movimento que exportou a percussão nacional para locais no exterior. Nesse contexto, realizou shows em países como Dinamarca, Portugal, França, Alemanha, entre outros.

Ao lado do pai, foi músico na banda do pai durante 25 anos onde gravou com Emílio Santiago, Leila Pinheiro e nomes além do samba. Sendo eles, Tito Paris, Jorge Degas, Kelly Rowland e outros. Atualmente é compositor da Universal Music.

 

Discografia

O primeiro álbum de Tunico foi lançado em 2003 e leva o nome de “Tunico Ferreira”. Mais tarde, em 2009, trouxe para as lojas a obra “Na Cadência do Partido Alto”. Anos depois, em 2016,  lançou o EP “O Velho de Oiá” que está disponível via Spotify e Deezer. Nos CDs do pai, o cantor assinou canções como “Um ai ai pro meu amor”, “Pare de brincar comigo” e “Difícil ser fiel”. E assim se fez até os dias de hoje com marcos significativos no meio do samba. Ano passado, interpretou o samba-enredo conhecido como “Festa no Arraiá”, de autoria compartilhada com o pai e Arlindo Cruz no álbum “Alô Vila Isabeeel”. Além da canção “Baixou na Avenida” no CD “Bandeira da Fé”, ambos de Martinho.

 

História de Vida

Nascido em 13 de junho, com o nome de Antônio João e Pedro Caniné Ferreira, Tunico tem 45 anos, carioca e criado em Vila Isabel. Filho de Martinho da Vila e Ruça, se formou em percussão pela Ordem dos Músicos do Brasil. Fora isso, é fundador do coletivo cultural “Somos 1 Só”, que traz artistas a fim de disseminar o diálogo entre os diversos gêneros musicais e a periferia. Flamenguista, é casado com Déborah Sathler e possui cinco filhos.

 

“Sexta do Samba”

O Sexta com Samba ocorre de janeiro a março as sextas-feiras na sede do Sec. O propósito é celebrar o gênero musical e embalar animação e boas energias. Nesse contexto, se torna um ponto de encontro para aqueles que se identificam com o bom e velho samba.

Para fechar o mês, o Sesc Thermas recebe Jacqueline Cardoso, apresentando o seu mais recente trabalho “Coisa Linda de Mamãe”. Cantora, compositora e atriz, Jacqueline iniciou sua carreira aos 12 anos e ao longo de sua trajetória musical já homenageou diversas vozes femininas do samba, como Clara Nunes, Beth Carvalho, Dona Ivone Lara, entre outras. “Pedaço do meu chão”, seu primeiro trabalho dedicado ao samba de terreiro, integrou a programação da Virada Cultural Paulista 2013. Jacqueline se apresenta no dia 25, sexta-feira, às 20h30.

 

 

SERVIÇO

Sexta do Samba

Show – Tunico da Vila ‘Show Martinho 80 Anos’

Hoje

20h30

Grátis.

Na Área de Convivência.

*Menores de 16 anos devem estar acompanhados do responsável legal, com documentação oficial de ambos.