Trânsito: uma imprudência vem sempre acompanhada com a outra

  • 29/09/2019 04:00

Ferimentos leves, ferimentos graves, vítima conduzida ao hospital x, vítima fatal no local. Diariamente em todos os noticiários sejam televisivos, radiofônicos, online ou jornais têm uma ou mais ocorrência de acidentes de trânsito. Intolerância, pressa, falta de atenção, imprudência, como dirigir acima da velocidade permitida, sob efeito de álcool ou distraidamente falando ao celular, normalmente, são as principais causas de pequenos ou graves acidentes.

De acordo com estatísticas o carro-chefe de envolvidos desde uma “simples” colisão geralmente traz jovens voltando de baladas, durante a madrugada, embriagados, muitas vezes sob efeitos de drogas ilícitas... Ou seja, uma pessoa totalmente incapaz de estar atrás de um volante. De estar conduzindo um veículo que pode ser considerado sim como uma poderosa arma que pode deixar um individuo inválido, pode tirar vidas facilmente e deixar lares sem pai, mães chorando a perda de um filho, irmãos, primos, tios... famílias destroçadas pela imperícia, a imprudência de uma pessoa.  

Quando se está aprendendo a dirigir, por exemplo, a constante atenção e disposição física e emocional do condutor são exaltadas na teoria ou na prática, todo o tempo. Quem nunca conduziu um veículo pode não ter noção de que qualquer deslize pode ter consequências gravíssimas. Mas, a pessoa habilitada, ah esta sabe e muito bem.

Embora muitas vias urbanas, estradas, rodovias não favoreçam a circulação de veículos, esburacadas, às vezes com má sinalização, é obvio que o ser humano é o principal responsável por acidentes.

Se beber, não dirija. Se estiver com sono, estacione o carro em local seguro e só volte ao volante quando estiver atento e descansado. Não quer se apressar, calcule aproximadamente o tempo que precisa para chegar ao seu destino e assim, saia de casa mais cedo. Atitudes básicas podem prevenir danos irreversíveis.