Terreno situado no bairro é alvo de lixo; moradores elogiam ponte de acesso

 13/08/2017  - André Esteves

A A A

No Jardim Sabará, em Presidente Prudente, o descarte inapropriado de lixo não é exclusivo à praça de lazer. Em um terreno da Rua Adelino Rodrigues Gatto, o quadro preocupa: quando o perímetro não está ocupado por entulhos, exibe rastros de cinzas deixados pelo fogo ateado nos resíduos. A dona de casa Eliete Santana, 61 anos, declara que a administração municipal faz “de vez em quando” a limpeza da área, mas sem resolutividade, considerando que os primeiros entulhos começam a surgir pouco tempo depois. “O local não chega a ficar limpo por mais que dois dias”, ressalta. Para ela, é preciso que a própria comunidade seja mais consciente, uma vez que o território, mesmo inutilizado, não deixa de compor o bairro.

A Secom (Secretaria Municipal de Comunicação) reitera que não é permitido o descarte de lixo em locais públicos e pede para que a população colabore fazendo denúncias à central 156. Em relação às queimadas, a Lei nº 7.726/2012 determina que fica proibido “o emprego de fogo para fins de limpeza de terrenos” e prevê a aplicação de multa de R$ 150 UFMs (Unidades Fiscais do Munícipio), dobrada na reincidência, em caso de descumprimento. O valor da UFM para o exercício de 2017 é R$ 3,4625.

 

Ponte de acesso

Por outro lado, os munícipes elogiam a entrega da ponte que interliga a Rua Manoel Goulart e Avenida Ana Jacinta, por meio da Rua Élson Nereu da Silva, situada no bairro onde residem. O dispositivo é fruto do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) e contou com investimentos na ordem de R$ 5 milhões. No fim da ponte, a falta de calçada ainda é uma realidade no espaço. Para o aposentado Joel Barbosa, 75 anos, a passarela favorece o fácil acesso a outras localidades do município. “Se você entrar nela, já sai direto no Cristo [imagem em avenida]”, comenta. A aposentada Dijanira Maria da Conceição, 64 anos, por sua vez, acredita a estrutura é um “grande ganho” para a vizinhança, considerando que é uma opção a mais para desafogar o trânsito da cidade.

 

Comentário