Divulgação - Ator, diretor, professor de teatro e cenógrafo Thiago Cardoso, no espetáculo “Angústia”

Foto: Divulgação - Ator, diretor, professor de teatro e cenógrafo Thiago Cardoso, no espetáculo “Angústia”

CULTURA

Teatro em Movimento volta aos palcos de PP em agosto, com 2 espetáculos gratuitos

“Angústia” e “O Canto do Cisne”, da Mênades & Sátiros, serão mostrados em diferentes espaços da cidade; projeto, iniciado em março, chega ao fim em setembro

  • 11/08/2019 07:13
  • PEDRO SILVA - Da Redação

Dando sequência ao projeto Teatro em Movimento - que teve uma pausa em julho -, o grupo de teatro prudentino Mênades & Sátiros volta aos palcos neste mês, com apresentações gratuitas das peças “Angústia” e “O Canto do Cisne”, em diferentes lugares da cidade. Sempre após o fim das encenações, que começaram no mês de março, os atores da companhia batem um papo com o público sobre o tema e a contextualização da obra.

O coordenador do projeto e diretor de teatro, Denilson Biguete, ressalta que o público, desde o início das apresentações vem aumentando, e sendo cada vez mais fiel. Em média, segundo ele, cada apresentação tem 300 espectadores e eles buscam, até o encerramento, ter alcançado 10 mil pessoas.

Iniciado em março, o projeto Teatro em Movimento, que é realizado pela Olho Nu Promoções e Eventos e Mênades & Sátiros Cia de Teatro, em parceria com o ProAc (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo), por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, com o apoio do Torra, Andorinha, Andorinha Express e do governo de Presidente Prudente, através da Secult (Secretária Municipal de Cultura), está em sua reta final. As últimas peças em cartaz são “Angústia” e “O Canto do Cisne”, ambas do escritor russo Tchekhov, além de “Dom Casmurro”, que volta a ser mostrada, com apresentações em setembro.

 

Recepção

Segundo Denilson, o projeto vem se executando muito bem, e principalmente cumprindo seu principal objetivo, o de levar o teatro de forma gratuita para vários pontos da cidade. “Faz parte do projeto ocupar locais alternativos, entendendo a cidade geograficamente para levar os espetáculos para onde não se tem acesso”, pontua.

Devido à falta de contato muitas vezes do público com a expressão artística, ou tendo como referência de atuações somente a teledramaturgia (novelas), o grupo realiza uma conversa após o término das atuações para explicar as ideias do autor, contextualizar e esclarecer alguns pontos. “Lógico que entendemos que o teatro fala por si, mas esse encontro se dá pela apreciação do público ao espetáculo, assim de uma forma descontraída esclarecemos o percurso da obra e tiramos dúvidas”, comenta o diretor. E acrescenta que “devido à falta de acesso ao teatro, essa conversa, por vezes, se faz necessária”. “É bacana!”.

O repertório da Mênades & Sátiros apresenta escritores clássicos como Tchekhov e Machado de Assis, muitas vezes com peças que necessitam de uma “certa bagagem cultural” para a compreensão imediata. O coordenador diz que apresentar tais obras para quem nunca teve contato com o teatro é um desafio que é gratificante ser cumprido. “Cada peça faz um recorte do ser humano, e os espetáculos trabalham com emoções, é muito bom, vale a pena.”, completa.

 

Agenda

No mês de agosto, as próximas apresentações confirmadas são: “Angústia”, no Salão Nobre da Instituição Toledo de Ensino (16/08, às 20h) e Boulevard da Unesp (17/08, às 20h). A exibição de “O Canto do Cisne” dará sequência na programação, sendo encenada na Etec Profº Dr. Antônio Eufrásio de Toledo (23/08, às 20), Praça da Juventude Lucas Nalin Pasqualini – Cohab (24/08, às 20h), Espaço Laje – Centro Cultural Matarazzo (25/08, às 20h), Auditório da Uniesp – Fapepe (30/08, às 20h) e Teatro César Cava (31/08, às 20h).

Em setembro, no dia 3, às 20h, no auditório da Uniesp/Fapepe; e no dia 10, às 20h, na Etec Professor Antonio Eufrásio de Toledo, ocorrem encenações da peça “Dom Casmurro”, que já circulou pela cidade em abril, maio e junho.

As produções “A Noite das Mal Dormidas”, de Neils Petersen, e “Inventa-Desinventa”, de Claudia Vasconcelos, que também integram o programa, foram trazidas ao público nos meses de abril e maio. Ao final, cerca de 50 apresentações totalizarão o projeto.

 

Serviços

Todas as apresentações são gratuitas, e a entrada é por ordem de chegada ao local da apresentação. Todas as peças tem classificação indicativa para maiores de 14 anos.