Suposto ataque de piranha é registrado em rio de Epitácio

Moradora de PP saiu de dentro d’água no O Figueiral com o calcanhar perfurado, no sábado; Corpo de Bombeiros Municipal atendeu a ocorrência e disse que foi a única nos últimos dias

THIAGO MORELLO • 06/03/2018 10:34:21

Um suposto ataque de piranha voltou a acontecer e ser registrado no Parque O Figueiral, em Presidente Epitácio, no último sábado. Desta vez, uma moradora de Presidente Prudente, que foi passar o final de semana na cidade, voltou para casa com uma perfuração no pé. Segundo as informações do Corpo de Bombeiros Municipal, essa situação foi a única ocasionada nos últimos dias. Para ser mais preciso, casos como esses não acontecem desde o carnaval.

Por outro lado, o Corpo de Bombeiros do Estado defende que nenhuma ocorrência desse porte foi registrada nos últimos dias. Aliás, assim como em outras oportunidades, a corporação mencionou que a água já foi verificada por especialistas e biólogos, por exemplo, e não houve confirmação de que os banhistas que sofreram lesões ultimamente estejam interligados com ataques de piranhas. A autoridade ainda defende que, desde sempre, há incidência de duas espécies do peixe nas águas do Rio Paraná, mas que não atacam.

Com confirmação ou não que os ferimentos são ocasionados por piranhas, eles voltaram a acontecer. A prudentina Delair Zadi da Silva foi a vítima da vez, teve o calcanhar perfurado e se diz indignada, pois, segundo ela, nas margens do rio não há aviso sobre a situação. “Era para ser uma final de semana agradável, mas não foi. Em poucos minutos que entrei na água já sofri a mordida. Eles falam que são objetos pontiagudos e cortantes, mas o formato do ferimento mostra claramente que são mordidas”, pontua.

Delair conta que foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada à santa casa da cidade. Por lá, ela foi medicada e reitera que recebeu o atendimento de forma rápida. Entretanto, lamenta o fato ocorrido e deixa o alerta para os banhistas e também às autoridades, que precisam fazer algo, ainda de acordo com ela. “São crianças e famílias que também estão ali e correm o risco”, finaliza.

 

Resposta

À reportagem, a Prefeitura de Presidente Epitácio disse, anteriormente, que trata a situação como ferimentos causados nos pés dos banhistas e não ataque de piranhas. Ademais, como já noticiado por este diário, a municipalidade alertou que estava em busca de respostas. Na tarde de ontem, a administração municipal foi questionada para saber se essa elucidação foi encontrada. A assessoria de imprensa do órgão garantiu que o posicionamento seria mandado por meio de nota, contudo, até o fechamento desta edição, não houve recebimento.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste