Cedida - Supermercado Estrela adotou sinalização de distanciamento para conter aglomerações de pessoas

Foto: Cedida - Supermercado Estrela adotou sinalização de distanciamento para conter aglomerações de pessoas

SEM AGLOMERAÇÕES

Supermercados adotam esquemas de rodízio

Em Prudente, alguns estabelecimentos reduziram a 10% o fluxo de clientes; hoje lojas atendem de 45 a 60 pessoas por vez

  • 26/03/2020 09:57
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Diante da pandemia do Covid-19, anunciada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), alguns estabelecimentos tidos como essenciais estão adotando medidas de prevenção para seus clientes e colaboradores. Em Presidente Prudente, alguns supermercados adotaram esquemas de rodízio, reduzindo a 10% a capacidade de lotação. A medida é um reflexo dos decretos municipal, estadual e federal para que se evitem aglomerações e, consequentemente, o contágio pelo novo coronavírus.

No Supermercado Estrela, o gerente de loja, Iremar Cordeiro, explica que a rede vem atendendo todas as medidas acionadas pelo Estado, com relação à saúde e bem-estar de seus colaboradores e clientes. Para tanto, uma das medidas tomadas dentro da unidade foi a orientação de distanciamento de 5 metros quadrados entre os consumidores e o esquema de rodízio de até 60 pessoas, levando em conta o tamanho da unidade.

“Também adicionamos cartazes com orientações para prevenção ao novo coronavírus, sinalizamos o distanciamento de cliente para o pagamento nos caixas, disponibilizamos álcool em gel nos banheiros e na entrada do supermercado, entre outras medidas que visam o bloqueio do contágio”, relata o gerente. “Além disso, orientamos para que as pessoas não tragam crianças e que compareça apenas um membro familiar, a fim de que se tenha um número reduzido de pessoas circulando dentro do supermercado, até que a pandemia seja contida”, explica.  

Com relação às vendas pela internet, outra medida adotada pelo supermercado, o gerente explica que o crescimento foi considerável na última semana e, como reflexo, montou uma equipe para suprir a modalidade de atendimento. “É uma forma do cliente receber em casa os mantimentos. É também uma medida de segurança para as pessoas do grupo de risco”. Um estudo feito pela Apas (Associação Paulista de Supermercados) na última semana, constatou que a redução nas compras físicas, nas lojas, em função da determinação de quarentena, feita pelo governo do Estado, está provocando um aumento médio de 74% no crescimento das vendas online e por telefone.

No Supermercado Avenida, o fluxo de clientes dentro da unidade também foi reduzido a 10% da capacidade de lotação e hoje atende de 45 a 50 pessoas, em esquema de rodízio, segundo o gerente de loja, João Luis Nicolosi. “Assim, para os consumidores que ainda não entraram para realizar suas compras, nós orientamos para que mantenham distância de 1 metro e meio, a fim de que se evite aglomeramento. Hoje, antes de entrar no supermercado, a pessoa recebe uma “porção” de álcool em gel para assepsia das mãos e é orientada a manter um distanciamento de outras pessoas dentro da loja”.

Também com relação ao bem-estar e saúde de seus colaboradores e clientes, o gerente destaca que é constante a limpeza dos caixas, incluindo máquinas de cartões, carrinhos e cestas de produtos. Nas próximas semanas, segundo ele, será instalada uma estrutura de acrílico nos caixas, como medida para não contaminação.

PROGNÓSTICO

DO SETOR

Com o avanço da pandemia, muitas pessoas optaram por estocar alimentos, prática que, na visão do gerente do Supermercado Estrela, não é tida como necessária – isso porque estabelecimentos tidos como essenciais continuarão ofertando e repondo seus produtos. “Como resultado da preocupação das pessoas, nas duas últimas semanas as vendas aumentaram em torno de 25%, mas a tendência é que se estabilize”.

O mesmo cenário ocorreu no Supermercado Avenida, que atualmente limitou a compra de alguns itens básicos por pessoa, como arroz, feijão, óleo e leite, visando à conscientização da população. “Hoje percebemos que as pessoas estão mais conscientizadas em não estocar grandes quantidades de produtos. Então, mesmo com fluxo alto de compras nas últimas semanas, a tendência é que tudo se estabilize nos próximos dias”.