Cotidiano

Somente com prudência e cuidados índice de afogamentos será reduzido

29/12/2018 05:02 •

Dias de descanso, calor e clima de comemoração. Tudo propício para se divertir e se refrescar em piscinas, represas, balneários, rios e até mesmo no mar – para quem vai passar as férias na praia. Na verdade, pouco importa o lugar, é preciso ter cuidado redobrado para fugir dos índices de afogamento. Esse tipo de acidente – tão corriqueiro na região – se torna ainda mais frequente neste período. Portanto, nada de colocar a própria segurança em risco com atitudes imprudentes.
Dados do 14º Grupamento de Bombeiros de Presidente Prudente alertam ainda para a predominância de afogamentos entre os homens jovens (entre 20 e 29 anos), que se afogam seis vezes mais do que as mulheres. Mesmo quem está acostumado a frequentar rios e piscinas deve tomar certas precauções antes de entrar na água, como não ingerir bebidas alcoólicas, não nadar longas distâncias sem o devido preparo, e nem mergulhar em águas escuras, que dificultam a visualização de profundidade.
As famílias que levam os pequenos para se divertir na água, então, devem estar sempre alerta. Todo cuidado é pouco! Quantas e quantas vezes este diário noticiou tragédias envolvendo afogamento de bebês e crianças? Inúmeras. Portanto, nunca os deixe sozinhos, nem por um segundo. Geralmente, é este segundo de distração que acaba por culminar na perda dos nossos filhos, netos, irmãos, sobrinhos. É este segundo que acaba com toda uma família, deixando marcas insuperáveis.
É preciso ter sempre em mente que, por mais que a água seja convidativa para brincadeiras e momentos de lazer – principalmente neste calor da região – jamais podemos relaxar totalmente, principalmente em rios e mares. O homem precisa aprender a respeitar os limites da natureza, e seus próprios limites, para que não vire mais um na triste estatística de afogamentos.