Somente a conscientização pode tornar o trânsito seguro

  • 20/02/2020 04:32
  • DA REDAÇÃO

Em breve, os radares voltarão a funcionar em Presidente Prudente. A empresa vencedora do processo licitatório para a prestação do serviço está na reta final da instalação dos dispositivos. Os mais atentos já perceberam que diversos pontos da cidade já contam com os equipamentos instalados. Embora os prudentinos já tenham vivenciado a fiscalização eletrônica de velocidade no trânsito, o assunto continua a despertar a atenção da população.

Muitos estão preocupados com o retorno dos radares. O temor paira nas consequências do desrespeito ao limite de velocidade: multa e pontos na habilitação. Embora a adoção da fiscalização eletrônica seja com o intuito de coibir acidentes de trânsito, o ideal seria que motoristas e pedestres internalizassem as regras e não as desrespeitassem.

As vias serão realmente seguras quando as pessoas não precisarem de ações punitivas para que tenham comportamentos prudentes. É muito comum que os motoristas se atentem aos limites de velocidade somente quando há radares por perto. O “pé de chumbo” volta a pisar no acelerador assim que os dispositivos se distanciam. Infelizmente, essas pessoas não percebem que estão colocando a própria vida – e de outros inocentes – em risco.

A implantação de radares funciona como um paliativo, visto que o que, de fato, pode garantir um trânsito seguro é a educação e a conscientização. E esse é um trabalho de formiguinha, que começa na primeira infância, um assunto que deve ser incutido na mentalidade dos pequenos. Para essa nova geração, a esperança é que o respeito às regras e ao próximo seja colocado em primeiro plano. Já para os motoristas da atualidade, a fiscalização eletrônica é uma medida eficaz para coibir o excesso de velocidade...mesmo que seja somente como uma forma de fugir das punições.