APÓS ASSEMBLEIA

Sintrapp considera possibilidade de greve de servidores

Pedido de reajuste salarial de 5% acima do índice da inflação não foi aceito pela Prefeitura, que irá repor inflação de 3,78% em cima do valor salarial, conforme PL

09/03/2019 06:01 • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Membros do Sintrapp (Sindicato dos Servidores Municipais de Presidente Prudente) se reuniram na noite de quinta-feira na sede do sindicato, para debater sobre o posicionamento da Prefeitura de Presidente Prudente em relação aos itens apresentados na campanha salarial deste ano, que envolve todas as categorias. O encontro ocorreu após o Executivo não acatar o primeiro tema constante na pauta, que diz respeito ao reajuste salarial de 5%, acima do índice da inflação. Apesar de não aceitar a proposta, os servidores afirmam que continuarão em busca dos demais direitos e não descartam a possibilidade de entrarem em greve.

De acordo com a Prefeitura de Prudente, o pedido de reajuste salarial não foi possível de ser acatado, no entanto, será reposta a inflação de 3,78% em cima do valor salarial, conforme projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal na quinta-feira. Dos seis itens apresentados pelo sindicato, houve apenas o retorno do primeiro da lista, o que motivou a assembleia geral para levar o posicionamento à apreciação dos servidores. “Apesar disso, a gente continua com eles na pauta da campanha salarial e vamos tentar a negociação na tentativa de alcançá-los”, pontua Luciana Telles, presidente do Sintrapp.

O documento da campanha salarial protocolado no começo do ano com a administração pública apresenta as seguintes reivindicações: reajuste salarial de 5% acima do índice de inflação; aumento de R$ 200 no abono salarial; aumento de R$ 100 no vale-alimentação; implantação do plano de cargos, carreira e salário; revogação do decreto 28.645/18 – que suspende temporariamente o pagamento da venda dos 10 dias de férias e da licença prêmio –; e o compromisso em manter os direitos conquistados.

Pedido de revogação

Caso a nova tentativa de negociação não alcance resultados esperados, o sindicato reforçará o pedido de revogação do decreto 28.645/18. “Se não conseguirmos atingir o nosso objetivo, iremos no reunir e conversar sobre uma futura paralisação. Mas, tudo discutido em uma futura assembleia”, afirma Luciana. Por meio de nota, o Executivo esclarece que quanto à revogação do decreto para a compra de 10 dias de férias e licença prêmio, “só será feita, conforme já adiantado verbalmente ao sindicato, após a licitação da folha de pagamento junto aos bancos comerciais neste primeiro trimestre, e conforme a melhoria de arrecadação sem comprometer a manutenção dos serviços essenciais à população”.

Outros aspectos

A este diário, a Prefeitura também se posicionou sobre os demais itens. Em relação aos aumentos em abono salarial e vale-alimentação, em virtude da situação financeira do município, afirma que não serão dados neste momento. A respeito do plano de cargos e salários, a municipalidade afirma que já foi montada uma comissão e uma reunião já foi feita em 2018. Para dar continuidade ao pedido, deverá ser agendada uma nova reunião ainda neste mês, o que ainda não tem data para divulgação.

“Nenhum direito do servidor foi desrespeitado nesta administração, mesmo com as dificuldades financeiras, mantendo em dia, por exemplo, o abono aniversário - um salário mínimo a cada servidor no mês de seu aniversário - e o reajuste trimestral do vale alimentação, atualmente em R$ 743”, pontua o município.