Bairros

Sem preferência, pedestres do Jardim Paris pedem lombofaixa na Rua João Goetz

ANDRÉ ESTEVES - Da Reportagem Local • 08/07/2018 04:32:00

Foto: José Reis - Com dificuldade para atravessar faixa de pedestre, moradores pedem lombofaixa na João Goetz

Imagine precisar atravessar uma via e ser obrigado a esperar uma brecha no trânsito para conseguir encostar o pé na faixa de pedestre. É o que ocorre com moradores do Jardim Paris, em Presidente Prudente, que utilizam a Rua Padre João Goetz para ter acesso aos estabelecimentos comerciais das imediações. O local já possui uma faixa com fundo vermelho na altura da Churrascaria Tchê, no entanto, munícipes apontam ainda ser insuficiente para que os veículos deem preferência para a passagem dos transeuntes. Sendo assim, solicitam, de imediato, a conversão do dispositivo em uma lombofaixa, a exemplo daquela instalada na Avenida Manoel Goulart, em frente ao Prudenshopping, onde os motoristas são obrigados a interromper seu trajeto no momento em que alguém se aproxima da faixa.

Justamente por ser o Jardim Paris um bairro bem localizado na visão da recepcionista Fabiana Arcanjo, 39 anos, ela costuma realizar todos os seus compromissos diários a pé e, por esta razão, faz uso da João Goetz até quatro vezes ao dia. Se, muitas vezes, deixar o carro em casa e andar com as próprias pernas acaba sendo mais ágil, há ocasiões em que a trabalhadora gasta mais tempo do que o necessário tentando fazer a travessia na rua em questão. Ela conta que, a princípio, os moradores fizeram um abaixo-assinado para conseguir trazer a faixa branca para o trecho, o que foi viabilizado, contudo, a necessidade agora é pela elevação do dispositivo.

Segundo Fabiana, a proximidade com dois colégios particulares intensifica o fluxo de veículos, sobretudo em horários de pico, o que torna a passagem mais difícil. Ela relembra que, por conta disso, em março deste ano, um idoso morreu após ser atropelado enquanto atravessava a faixa.

A atendente Thainá Maria Almeida da Silva, 23 anos, também é a favor da alteração do dispositivo. Ela trabalha em um estabelecimento do Jardim Paris e costuma buscar marmita em um restaurante da João Goetz. Como o horário de almoço é horário de pico na referida via, principalmente em virtude da saída dos alunos das escolas próximas, a jovem relata que leva tempo para conseguir atravessar. “Com certeza, a faixa elevada tornaria o trânsito menos tumultuoso”, considera.

Já a autônoma Célia Oliveira, 48 anos, diz que, enquanto a lombofaixa não for instalada, sempre cruzará o trecho com “muita cautela e receio”. Isso porque, ainda que exista a brecha para entrar na faixa em alguns momentos, teme que algum veículo venha em alta velocidade e avance o dispositivo. “Há sempre o risco de o pedestre iniciar a travessia e o carro parar em cima dele. Há motoristas que veem que você quer passar e fazem a gentileza de parar, mas tem outros que nem se preocupam”, denota.

Semáforos são estudados

Conforme o diretor de mobilidade urbana da Semav (Secretaria Municipal de Assuntos Viários e Cooperação em Segurança Pública), Thiago Ferreira Russi, há um estudo em andamento para implantar semáforos nas proximidades da Churrascaria Tchê, de modo que os pedestres tenham a oportunidade de fazer a travessia em segurança.

Thiago acrescenta que, em frente ao Colégio Anglo, por sua vez, já ficou comprovada a inviabilidade de instalar o dispositivo elevado, uma vez que o local não atende às especificações do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), pois, conforme a Resolução 495/2014, “a via possui uma inclinação superior a 6% e uma curva muito próxima que impossibilita a visão do motorista”.

Conforme a legislação de trânsito brasileira, o motorista que deixar de dar preferência ao pedestre na faixa destinada a ele comete infração gravíssima, sujeito à perda de sete pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 293,47.

ESTRUTURA DO BAIRRO

Data de implantação: 19/01/1990

Área de loteamento: 33.013,35 m²

Área verde: 3.337,39 m²

Quadras: 4

Construções: 100

Terrenos baldios: 8

População estimada: Cerca de 500 pessoas

Fonte: Secom

SERVIÇO

A população pode promover suas reclamações, críticas e elogios sobre o bairro em que reside. O contato deve ser feito com os profissionais da Pauta, por meio do pauta@imparcial.com.br, do telefone 2104-3732 ou do WhatsApp 99104-8537.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste