Saúde afirma que criança chegou na UPA medicada

Prudente

| THIAGO MORELLO - Da Redação

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) de Presidente Prudente abriu um procedimento administrativo para verificar a ocorrência do bebê de um mês de 20 dias que foi internado com suspeita de ter recebido medicação errada na UPA (Unidade de Pronto-Atendimento 24 horas) do Conjunto Habitacional Ana Jacinta, conforme noticiado ontem por este diário, em meio ao depoimento do pai da criança. O secretário da pasta, Valmir da Silva Pinto, relata à reportagem que o paciente em questão, Theo Reis de Azevedo, já chegou à unidade de saúde medicado e com reação ao uso do medicamento citado.

Medicamento que vai além de amoxicilina, mas também ao uso de decadron. O secretário conta que, diante ao exposto, procurou a diretoria clínica da UPA para verificar o ocorrido. A ele, foi dito que a criança chegou por volta da 0h40 da sexta-feira e foi atendida por um médico de plantão. “Na própria ficha de atendimento, a mãe se queixava que a criança fez uso de decadron e amoxicilina, há sete horas. E após isso, iniciou-se a identificação da vermelhidão na orelha, boca e membros inferiores”, conta. Valmir reafirma que a exposição foi feita pela genitora na triagem.

À equipe médica de plantão, a mãe da criança contou que havia passado por um médico já anteriormente, na parte da tarde, no qual foi prescrita a medicação, ainda conforme o depoimento do representante da pasta. “No entanto, o médico da nossa unidade lhe garantiu que uma criança de um mês não faz o uso de amoxicilina e cortou o consumo do remédio”, completa Valmir.

O secretário também garante que foi feita uma medicação antialérgica na UPA, às 14h30 do mesmo dia, e o paciente foi enviado à ala pediátrica para observação. “Posteriormente, ele foi reavaliado e deu sinal de melhoras. Melhora essa que a própria mãe referiu. Por conta disso, o médico deu alta para a criança, mas com orientações”, pontua. Valmir finaliza ao dizer “que não houve erro de conduta nenhuma na ocasião, e reitera que foi uma reação ao medicamento, sim, mas não prescrito na UPA”.

O pai do menino, Eder Andery de Azevedo, que conversou com a reportagem sobre a situação, voltou a ser procurado ontem para comentar o caso e o posicionamento da Saúde. Contudo, ele não atendeu as ligações feitas.

 

Estado de sáude

Como noticiado na edição de ontem, logo após a UPA, Theo foi enviado ao HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, onde chegou a ser internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Até o fechamento desta edição, o paciente permanecia “estável” aos cuidados da equipe médica da unidade de saúde.

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste