Arquivo - Decisão começa a valer a partir deste final de semana

Foto: Arquivo - Decisão começa a valer a partir deste final de semana

MEDIDA PREVENTIVA

SAP divulga novas regras para visitas em penitenciárias

A fim de evitar possível contágio pelo novo coronavírus, dentre as medidas, cada preso poderá receber apenas um visitante por fim de semana

  • 20/03/2020 10:06
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Começa a valer amanhã as novas regras para visitas de presos nas penitenciárias do Estado de São Paulo, conforme publicado ontem pela SAP (Secretaria de Administração Penitenciária). As restrições elencadas visam evitar o possível contágio pelo novo coronavírus, Covid-19.

De acordo com a nova regra, cada preso poderá receber apenas um visitante por fim de semana. Além disso, está proibido o ingresso de menores de idade, visitantes acima de 60 anos ou de pessoa que se enquadre nos demais casos do grupo de risco definido pelos órgãos de saúde.

Desde o último final de semana, os visitantes passam por triagem na entrada da unidade prisional. No procedimento, aqueles com sintomas de enfermidades não poderão entrar, abordagem que continuará a ser executada nos próximos dias.

“Lembramos que, em casos como esse, o interesse coletivo prevalece e a medida busca a proteção de todos”, afirma a SAP. Dentro das unidades, segundo a pasta, medidas divulgadas pelo governo do Esatdo, como lavar as mãos com frequência, já estão sendo adotadas. “O cenário está em permanente avaliação para o direcionamento de ações visando ao enfrentamento do problema”.

VISITAS SUSPENSAS

A regra das visitas não vale para todas as unidades. De acordo com a Administração Penitenciária, nos presídios onde houve atos de insubordinação registrados na segunda-feira, as visitas estão suspensas para a reorganização interna das unidades. São elas os CPPs (Centros de Progressão Penitenciária) de Mongaguá, Tremembé e Porto Feliz, além da ala de semiaberto da Penitenciária I de Mirandópolis.

Nestas unidades houve evasão de presos e ato de insubordinação devido à suspensão da saída temporária, que ocorreria na terça-feira passada.  A medida foi necessária, pois o benefício contemplaria mais de 34 mil sentenciados do regime semiaberto que, retornando ao cárcere, teriam elevado potencial para instalar e propagar o coronavírus em uma população vulnerável, gerando riscos à saúde de servidores e de custodiados.

Até a manhã de quinta-feira, do total de 1.375 fugitivos, 720 foram recapturados pela Polícia Militar com apoio de agentes de segurança penitenciária.