“Case de sucesso” Saneamento básico de PP é considerado exemplo em evento

 06/12/2017  - THIAGO MORELLO - Da Redação

A A A

Desde 2007, a Lei do Saneamento Básico assegura uma série de direitos aos usuários de água e esgoto. Na região, ainda existem municípios que possuem problemas com a temática, como listado ontem, em um evento organizado pelo SBT Interior e Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), que visou discutir o trabalho de saneamento nas cidades paulistas, além da universalização do serviço por parte da estatal. Na ocasião, realizada ontem, na Sociedade de Medicina de Presidente Prudente, o munícipio que recebeu o evento pioneiro foi utilizado um case exemplar, no que diz respeito ao tratamento de água e esgoto.
Que, de acordo com o prefeito de Prudente, Nelson Roberto Bugalho (PTB), vai além. “Quando a gente fala de universalização, estamos pensando em coleta, tratamento e distribuição. Saber que a cidade é vista como um exemplo no assunto me deixa muito honrado e feliz, principalmente por ter participado da história que a Sabesp tem com a cidade, desde a década de 90”, conta. Para ele, que também é ambientalista, o assunto deve ser discutido, devido aos reflexos que produz.

“A área da saúde se beneficia com o saneamento básico e, consequentemente, com a economia. Fora isso, ainda podemos citar o ganho que isso traz, ao oferecer um ambiente com mais dignidade para a população, que é o destino final de tudo”, completa Bugalho, e afirma que o serviço com a Sabesp continuará sendo feito em Prudente.

À frente do serviço, o superintendente da companhia, Antero França, ressalta que, em outras situações, o histórico de Prudente já foi apresentado e sempre visto como “um exemplo de sucesso”. Prova disso, é o índice de satisfação que Sabesp captou na região, no qual o mais baixo foi de 92%. “Então, você vê um cenário no qual é perceptível um trabalho sendo bem feito, de forma que pode e deve ser expandido para a região”, argumenta.

No entanto, captar novos municípios do entorno para serem atendidos pela Sabesp, apesar de ser uma vontade, não é uma tarefa executada. Ainda de acordo com Antero, cabe ao município procurar pela companhia, a fim de firmar parceria e discutir a privatização do serviço, e não ao contrário. “Isso já ocorre em algumas situações. A partir disso, a gente cria um elo com a cidade, com a intenção de montar um cronograma de atuação e ver se realmente aquilo interessa a ela”, destaca.

 

“A área da saúde se beneficia com o saneamento básico e, consequentemente, com a economia. Fora isso, ainda podemos citar o ganho que isso traz, ao oferecer um ambiente com mais dignidade para a população, que é o destino final de tudo”
Nelson Roberto Bugalho (PTB),
prefeito de Prudente

 

Estudo técnico
E em meio ao bate-papo, a universalização foi tratada pelo professor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Ariovaldo da Silva, que é engenheiro agrícola e especialista em saneamento. No local, ele ressaltou a importância de se ter um serviço de saneamento básico, principalmente pelo ganho que isso oferece. “Por exemplo, já foi comprovado que a água tratada promove a redução de doenças, a mortalidade infantil de recém-nascidos e melhora também o rendimento escolar, além da expectativa de vida”, garante.

Comentário