Weverson Nascimento - Sâmia Bomfim também destaca a preocupação em relação aos crimes contra a mulher

Foto: Weverson Nascimento - Sâmia Bomfim também destaca a preocupação em relação aos crimes contra a mulher

NA REGIÃO

Sâmia Bomfim analisa possibilidade de cursinho popular

Em visita aos municípios regionais, deputada federal enfatiza questões da área da educação e a preparação do jovem para entrar no ensino gratuito

  • 23/07/2019 06:48
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

A deputada federal pelo Psol (Partido Socialismo em Liberdade) em São Paulo, Sâmia Bomfim, está na região de Presidente Prudente para ouvir a comunidade e conhecer as dificuldades locais. Em entrevista concedida ontem a este diário, ela falou sobre os primeiros meses de mandato na Câmara dos Deputados e analisou possíveis mudanças que podem ocorrer na região por meio de futuros projetos a serem colocados em pauta. Dentre os destaques, a deputada enfatizou sobre questões da área da educação. Ela diz que pretende trabalhar em um projeto que crie uma rede de cursinhos populares para que o jovem consiga se preparar para entrar em universidades e concurso públicos.

“Na região existem algumas grandes universidades, principalmente em Prudente, o que atrai pessoas que moram ao entorno para estudarem aqui. Mas acho que existem poucas oportunidades além do ensino regular”, afirma. Conforme Sâmia, cursinhos populares trariam mais oportunidades de preparações para ingressar no ensino. “É preciso pensar na política da juventude, porque o que falta para nossos jovens são oportunidades em espaços de ressocialização, de desenvolvimento de suas capacidades intelectuais. A educação, principalmente a pública, vem sofrendo cortes profundos em seu orçamento e é responsabilidade da sociedade tentar reverter essa situação, fazer dela a principal pasta de financiamento”, considera.

Outro assunto mencionado pela deputada federal foi a questão dos assentamentos rurais. Ela chegou a visitar alguns locais para entender as problemáticas levantadas pelos trabalhadores. “A zona rural é muito grande e ela corresponde a 40% do orçamento da produção que vem de lá [dos assentamentos]. Mas falta crédito para poder investir na terra, o tratamento adequado para que esse trabalho se desenvolva”, explica. Conforme Sâmia, são quase 90 assentamentos rurais na região e parte está abandonada. “Alguns não têm energia elétrica, saneamento, e é muito importante que os governantes se preocupem com essa realidade porque isso é fonte de miséria”.

Crime contra mulher

Dentre outros assuntos conversados, Sâmia Bomfim destacou a preocupação com a temática de violência contra as mulheres. Segundo ela, “os poucos serviços de acolhida às vítimas estão sendo fechados”. “Existe pouca disposição em avançar em propostas e projetos de lei, por isso que boa parte da atuação do meu mandato, propostas que tenho protocolado e projeto de lei são de iniciativa de enfrentar a violência contra as mulheres”, cita. E completa: “Ao mesmo tempo em que há aumento dos registros [de feminicídio], existe um retrocesso de investimento em políticas de enfrentamento à violência contra as mulheres”, lamenta.