Febre amarela Salas de vacinação registram alta na procura

 14/01/2018  - IVE CAROLINE - Da Redação

A A A

O diagnóstico recente de febre amarela em macacos bugios na capital paulista desencadeou em reações na maior cidade da região. O registro da morte de animais no Estado por conta da doença preocupou os moradores de Presidente Prudente, que passaram a procurar e se informar sobre a vacina de prevenção da doença. Segundo a diretora da VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal), Elaine Bertacco, a demanda pela vacina cresceu 100% desde dezembro do ano passado, até o momento, e as 28 salas de vacinação estão sobrecarregadas.

“Com a aparição do vírus da doença em nosso próprio Estado a procura se tornou muito maior. Até mesmo quem já tomou a dose vem até a unidade para tentar tomar novamente ou se informar. Muitas pessoas estão com dúvidas, porém ressaltamos que, se a dose já foi tomada, não há necessidade da vacinação novamente. É só olhar na carteirinha de vacinação para ver se já está imune ao vírus”, informa a diretora.

Conforme Elaine, a junção dos casos de mortes de macacos por febre amarela, com a temporada de férias, é um dos principais motivos pela população estar em alerta com a doença e procurar a vacinação, pois é neste período em que as pessoas vão viajar para outras cidades e Estados.

Em Prudente, por ser uma zona de risco, a diretora explica que há vacina contra a febre amarela desde 1995 e afirma que a cobertura da prevenção chega a 90% da população do município. Para aqueles que perderam a carteirinha e não sabem se estão imunes, ela orienta a ida até a unidade de saúde onde a pessoa está habituada a frequentar para realizar as vacinações, pois “todas as salas possuem registros vacinais, com histórico do que já foi tomado pela pessoa”, explica.

E reforça: “é importante que população saiba as orientações e se já tomaram a vacina, ou não. Caso não haja o registro da vacina, aí então devem procurar as unidades de saúde para se imunizar”, finaliza. Apesar de não haver casos de febre amarela registrados em Prudente e região, a responsável informa que medidas preventivas estão sendo tomadas para garantir a segurança na saúde dos munícipes.

“Nós comunicamos e enviamos ofícios para a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, à Polícia Ambiental e também para a Cidade da Criança, que é um local onde há mata e primatas, para que seja orientado que a população permaneça alerta. Se alguém encontrar algum macaco morto, deve encaminhar a situação imediatamente para a Vigilância Epidemiológica tomar as devidas providências”, enfatiza Elaine.

 

Prevenção nacional

Para evitar a expansão do vírus para áreas próximas de onde há circulação atualmente, o Ministério da Saúde informou que irá realizar uma campanha de vacinação, durante 15 dias, em 76 municípios, sendo 53 no Estado de São Paulo, 15 no Rio de Janeiro e 8 na Bahia, entre fevereiro e março deste ano. Conforme a pasta, o objetivo é vacinar mais de 19,7 milhões de pessoas com doses fracionadas contra a febre amarela, que protegem o cidadão por pelo menos oito anos, enquanto a dose padrão protege por toda a vida.

Comentário