Revitalização no centro precisa devolver “originalidade” à Praça da Bandeira

16/12/2017 14:01:01

Nesta semana, a Prefeitura de Presidente Prudente anunciou um pacote orçado em R$ 20 milhões, que pretende remodelar e modernizar vários trechos do quadrilátero central. Com isso, uma série de canteiros de obras deve ser formada naquele perímetro. Entre outras benfeitorias, está prevista a revitalização do Shopping Popular, o camelódromo. Nesta reflexão, vamos nos ater a este ponto. A medida se faz necessária, mas não deve se deter apenas ao embelezamento do espaço, que descaracterizou a Praça da Bandeira.

A novela ali é de longos capítulos. A Prefeitura tentou pleitear prédios da antiga Estação Ferroviária para acomodar os ambulantes que ali estão, mas a solicitação para estes fins foi negada pela União. Agora, para novas obras, pretende instalar um boulevard e uma ciclovia paralela à linha férrea, com extensão de 13 quilômetros, além da demolição do muro entre a Floriano Peixoto e a malha ferroviária, o que novamente vai exigir autorização da Rumo/ALL (América Latina Logística).

Sabe-se que o camelódromo, que não possui projeto técnico, armazena inúmeras mercadorias, grande parte inflamável. Um pequeno curto-circuito poderia fazer com que um incêndio se iniciasse e as chamas se propagassem com facilidade no local, como ocorreu em 2010, trazendo prejuízos a proprietários de dez boxes. Um complicador? A falta do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

Legislações federais, estaduais e municipais regulamentam a ocupação de ambientes públicos. Fazer cumprir o que está disposto nestas normas é fundamental para que o patrimônio público permaneça preservado. Além disso, pensar na segurança dos usuários é uma tônica a ser levada em consideração.

A proposta do prefeito Nelson Roberto Bugalho (PTB), que enquanto promotor atuou pela preservação da praça, é “acabar com as discussões que causam insegurança jurídica tanto para boxistas quanto consumidores”. Nova cobertura para os boxes, composta por placas fotovoltaicas e vegetação, melhoria nas instalações elétricas e sistemas de águas pluviais e construção de boxes destinados para a alimentação estão entre obras previstas.

A medida pode devolver à Praça da Bandeira um aspecto próximo do original e tornar o espaço, que hoje é em sua maior parte frequentado por moradores de ruas, um “cartão de visita”. O desenrolar desta novela está previsto para três anos. Veremos no prazo? Acompanharemos!

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste