Penitência

Restaurantes têm alta procura por peixes nos dias da quaresma

Além dos produtos in natura, consumo de pescados se estende também aos pratos feitos pelos próprios estabelecimentos

ANDRÉ ESTEVES - Da Reportagem Local • 15/02/2018 11:56:04

Foto: José Reis, Além das pessoas que preferem pedi-lo pronto, há que gosta de comprar o seu próprio peixe e prepará-lo à sua maneira

Com a chegada da quaresma, muitos devotos mantêm a tradição de abdicar da carne vermelha como forma de penitência. Ainda que não sejam consumidos diariamente, os pescados passam a fazer parte do cardápio destes fiéis com mais frequência, sobretudo durante as quartas e sextas-feiras. Enquanto há aqueles que gostam de comprar o seu próprio peixe e prepará-lo à sua maneira, há outros que preferem pedi-lo pronto.

Em Presidente Prudente, a peixaria e rotisseria Navio não só oferta aos clientes o produto in natura, como também os pratos feitos pela casa. Apesar do período quaresmal estar só no começo, a proprietária do estabelecimento, Magda Barros Siqueira, já sentiu diferença na procura pelas iguarias. Entre as opções mais pedidas, estão os filés grelhados, a bacalhoada, a salada de bacalhau e os peixes temperados e recheados. A comerciante enfatiza que os peixes frescos também não ficam para trás, porém, são mais populares durante a Semana Santa, quando se destaca a comercialização das espécies pintado, tilápia, abadejo e merluza.

Nos restaurantes, a carne branca também ganhará prioridade ao longo desta quarentena. O proprietário da panificadora e restaurante Soberana, Roberto de Andrade, adianta que a clientela poderá desfrutar toda quarta e sexta-feira de um cardápio que inclui pescados fritos, assados ou em ensopados. Ele conta que o carro-chefe do local é o Saint Peter – a tilápia vermelha. No entanto, o surubim e a sardinha também serão apostas do estabelecimento. O comerciante pondera que, embora a abstenção da carne já não seja um hábito entre as gerações mais novas, a população idosa se mantém adepta ao costume, o que faz com que os pedidos pelo peixe sigam em alta. “A garotada não renuncia o churrasco, mas as pessoas de mais idade ainda respeitam a quaresma”, ressalta.

No restaurante Sabor Amigo, a proprietária Fernanda Broca também observou o crescimento da demanda pela carne branca. Assim como na Soberana, o objetivo da comerciante é priorizar a oferta dos pescados durante as quartas e sextas, tanto no self-service quanto na distribuição de marmitas. “Nós trabalhamos muito com a merluza frita, mas, em virtude da quaresma, vamos tentar dar uma variada no cardápio e investir em diferentes preparos”, comenta. Para quem busca especificamente o peixe, os restaurantes que servem comida japonesa são opções em evidência.

No Yumi Sushi, o proprietário Gilberto Goya prevê um crescimento de 50% na procura com relação aos meses normais. “Contudo, como ainda estamos nos recuperando de uma crise econômica, um aumento de 20% já pode ser entendido como satisfatório”, considera. Ele percebe que a tradição de renunciar à carne diminuiu bastante entre os prudentinos, porém, defende que há muitos que continuam firmes em suas crenças. Pensando neles, o restaurante deverá retomar o preparo do yakissoba com frutos do mar. “Para quem não come nenhuma carne além de peixe durante a quaresma, esta é uma boa pedida”, afirma.

 

Consumidores

Após passar pelo Mercado Municipal na manhã de ontem, o consultor técnico Gilberto César Zangirolamo, 43 anos, resolveu levar para casa uma quantidade de sardinha e filé de tilápia. A razão para a compra dos pescados vai além dos costumes religiosos. Ele iniciou um tratamento de saúde que demanda uma dieta equilibrada. Por esta razão, vai aderir aos grelhados. “Mas pensando bem, seria importante consumir o peixe com mais frequência por conta da quaresma”, sugere o prudentino à esposa que o acompanhava.

Já no dia a dia da aposentada Alverina de Moura Magosso, 71 anos, o peixe está sempre presente. Ela diz que, principalmente ao longo do período quaresmal, tem o hábito de comer a carne branca às quartas e sextas – um ensinamento que herdou de seus pais. “Eu gosto bastante do salmão assado ou frito, mas não descarto o bacalhau na Sexta-feira Santa”, denota.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste