Ciesp/Fiesp

Região gera 700 postos de trabalho em abril

No acumulado do ano, foi registrado aumento de 4,08% no nível do emprego da indústria, com 1.650 vagas criadas  

JANAÍNA TAVARES - Especial para O Imparcial • 17/05/2018 08:58:47

Foto: Arquivo - Setor de coque, petróleo e biocombustíveis se destaca pelas contrações em período de safra

A Diretoria Regional do Ciesp/Fiesp (Centro e Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) em Presidente Prudente, composta por 65 municípios, divulgou ontem o balanço do nível de emprego industrial, referente a abril. De acordo com a pesquisa, a região registrou no mês passado a abertura de 700 postos de trabalho, saldo resultante das admissões, subtraídas as demissões – variação de 1,71% em relação a março.

Os setores que mais influenciaram neste cenário foram o de coque, petróleo e biocombustíveis (9,8%), de produtos alimentícios (0,76%) e de confecções de artigos do vestuário e acessórios (0,29%). O estudo mostra ainda que no acumulado do ano, o nível do emprego da indústria regional teve uma melhora de 4,08%, representando um crescimento de aproximadamente 1.650 empregos. Apenas no balanço dos últimos 12 meses - de abril de 2017 a 2018 -, que o indicador ficou negativo, de-0,99%, demonstrando uma queda de aproximadamente 400 postos de trabalho.

De acordo com o diretor regional da Ciesp/Fiesp, Wadir Olivetti Júnior, o aumento se dá principalmente pela melhora na economia do Brasil no primeiro trimestre de 2018 e que refletiu em abril. “Aumento ou não, a quantidade de consumo da população e o poder de compra também ajudam a perceber se a economia irá caminhar para um lado positivo ou negativo”, comenta o diretor regional.

Devido a isto, Wadir explica que tudo depende de como o cenário nacional vai se manter daqui em diante e, por isso, ele comenta que as demissões ocorrem quando há baixa no consumo e, consequentemente, coma menor produção das indústrias. “Outros fatores também estão envolvidos, como o medo de perder emprego, insegurança, momento político do país, notícias negativas, entre outras questões que influenciam o cidadão”, opina.

Entretanto, ele explica que as estimativas atuais são positivas, apesar do crescimento lento dos setores avaliados. “Nós temos um mercado mais promissor e o comércio da região também está bem movimentado e destaco principalmente o setor de coque, petróleo e biocombustíveis, que está com uma variação positiva de 9,80%”, introduz. No referido ramo, o diretor regional relata a possibilidade de trabalho.

“É um setor que emprega uma grande quantidade de pessoas, tanto no plantio da cana de açúcar até na parte de carregamento, então existe uma parcela muito notável, levando em consideração que cada indústria pode ter mais de 2 mil funcionários”, fala Wadir. Para tanto, mercado interno e externo precisam estar em consonância com o nível de consumo, o que possibilita a geração de empregos, de acordo com o diretor regional.

 

Análise do setor

Para o presidente do Sindetanol (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas, Farmacêuticas e Fabricação de Álcool, Etanol, Bioetanol e Biocombustível) de Prudente e região, Milton Videiro Sobral, as empresas do referente setor discutido estão em alta, devido ao período de safra que começou em março e já se mostram em produção. “A contratação neste período agora é essencialmente por causa da safra, que só termina, provavelmente, no mês de novembro e no máximo em dezembro”, diz.

Segundo Milton, terminado esse período, ocorrem as demissões, mas a maioria do efetivo das indústrias continua empregado. “Daqui a algum tempo, elas serão mais comuns, porém, é bom lembrar que o número de contratações ainda será maior”, finaliza.


 

NÚMEROS

 

1,71%

É a variação nos setores avaliados da pesquisa, em relação a março

 

4,08%

É a melhora do nível de emprego da indústria no acumulado do ano

 

1.650

É o crescimento aproximado de postos de trabalho em abril

 

400

Número aproximado da queda de postos de trabalho nos últimos 12 meses

 

9,80%

Variação positiva do setor de coque, petróleo e biocombustíveis

 

0,76%

Variação positiva do setor de produtos alimentícios

 

0,29%

Variação positiva do setor de confecção de artigos do vestuário e assessórios

 

 

“A contratação neste período agora é essencialmente por causa da safra, que só termina, provavelmente, no mês de novembro e no máximo em dezembro”

Milton Videiro Sobral,

presidente do Sindetanol

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste