Redução na taxa de homicídio em SP reflete em combate à criminalidade

  • 06/06/2019 07:40

O Estado de São Paulo é a região com a menor taxa de homicídios de todo o país, além de apresentar a maior redução nesta modalidade criminal entre os anos de 2007 a 2017. A afirmação foi divulgada ontem pela SSP (Secretaria de Segurança Pública), com base em um estudo referente aos indicadores de violência no Brasil, efetuado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) em parceria com o FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública). Os dados compõem o Atlas da Violência 2019, que mapeia todas as regiões do país em levantamentos registrados nos últimos anos.

A pesquisa aponta que o Estado de São Paulo apresentou queda de 33,35% na taxa de homicídios dolosos por 100 mil habitantes em dez anos. Em 2007, o índice foi de 15,4 e, em 2017, o indicado apresentou redução para 10,3 ocorrências, o menor índice do país. Na contramão do Estado, em igual comparação a média brasileira teve aumento de 24% nos indicadores, chegando a 31,6 casos por 100 mil habitantes. Apesar da informação positiva em relação a São Paulo, é importante que a comunidade continue a cobrar as autoridades para melhorias na segurança pública.

Tem-se observado que nos últimos anos o governo estadual tem priorizado os investimentos na segurança dos municípios, por meio de projetos de ressocialização de infratores e sentenciados, operações e constantes patrulhamentos preventivos, bem como prisões de criminosos de facções e transferências de presos de unidades do interior. Os acontecimentos podem ter contribuído para o número registrado pela pesquisa, o que consiste na cobrança da sociedade para que os investimentos também sejam reforçados com frequência nesta área. É fato que o homicídio não pode ser previsível, porém, é possível ser combatido por meio da redução de crimes comuns nas cidades, como o tráfico de drogas, que desencadeia furtos e roubos.

Estes são pontapés para que ocorram homicídios dolosos, seja entre criminosos, ou entre bandidos e sociedade. Para que o cidadão não tenha medo de andar na rua à noite, é necessário que haja mais proteção. Seja por meio de leis mais eficazes que inibam ações criminosas, ou pela maior agilidade em prender autores de delitos em flagrante. O número divulgado é uma esperança, mesmo que mínima, de que é possível combater a criminalidade, pelo menos em São Paulo.