COTIDIANO

Questão de prioridade

  • 14/04/2019 04:59
  • Sandro Rogério dos Santos

Hoje é especial. Domingo. Primeiro da semana. “Dia do Senhor”. Nossa cultura transformou o domingo – primeiro dia da semana, repito – em um dos dias do final de semana. Mesmo fazendo parte de um país cuja matriz é também religiosa e cristã-católica, ficamos à mercê de modismos que aos poucos arrancam as raízes que nos dão sustentação como indivíduos pertencentes a um povo e como povo pertencente a uma tradição. Falo isso porque iniciamos a Semana Santa. No entender da Igreja, ‘a semana santa, que inclui o Tríduo Pascal, visa recordar a Paixão e a Ressurreição de Cristo, desde a sua entrada messiânica em Jerusalém’.

Este dia de domingo, o primeiro da semana, marca o início da semana santa – o chamado Domingo de Ramos e da Paixão. Talvez, você meu leitor, não seja sequer religioso, menos ainda cristão-católico. Os valores religiosos poderiam sustentar a nossa vida se vividos com a profundidade e sinceridade que inspiram e pedem. Há muitos atualmente mais interessados em questionar a fé alheia que sustentar solidamente a sua própria. Sem querer forçar a aplicação, me lembrei de uma historinha que compartilho.

Numa aula de filosofia, o professor queria demonstrar um conceito aos seus alunos. Para tanto, ele pegou um vaso de boca larga e dentro colocou, primeiramente, algumas pedras grandes. Então, perguntou à classe: “Está cheio?” Pelo que viam, o vaso estava repleto, por isso, os alunos, unanimemente responderam: “Sim!” O professor, então, pegou um balde de pedregulhos e virou dentro do vaso. Os pequenos pedregulhos se alojaram nos espaços entre as pedras grandes. Depois perguntou aos alunos: “E agora, está cheio?” Desta vez, alguns estavam hesitantes, mas a maioria respondeu: “Sim!”

Continuando, o professor levantou uma lata de areia e derramou-a dentro do vaso. A areia preencheu os espaços entre as pedras e os pedregulhos. E, pela terceira vez, o professor perguntou: “Então, está cheio?” Agora, a maioria dos alunos estava receosa, mas, novamente muitos responderam: “Sim!” Finalmente, o professor pegou um jarro com água e despejou-a dentro do vaso. A água encharcou e saturou a areia. Novamente uma pergunta do professor: “Qual o objetivo desta demonstração?”

Um jovem e brilhante aluno levantou a mão e respondeu: “Não importa quanto a ‘agenda’ da vida de alguém esteja cheia, ele sempre conseguira ‘espremer’ dentro, mais coisas!” “Não exatamente”, respondeu o professor. “O ponto é o seguinte: A menos que você, em primeiro lugar, coloque as pedras grandes dentro do vaso, nunca mais conseguirá colocá-las lá dentro. Vamos! Experimente”, disse o professor ao aluno, entregando-lhe outro vaso igual ao primeiro, com a mesma quantidade de pedras grandes, de pedregulhos, de areia e de água.

O aluno, começou a experiência, colocando a água, depois a areia, depois os pedregulhos e por último, tentou colocar as pedras grandes. Verificou, surpreso, que elas não couberam no vaso. Ele já estava repleto com as coisas menores. Então, o professor explicou para o rapaz: “As pedras grandes são as coisas realmente importantes de sua vida: seu crescimento pessoal e espiritual. Quando você dá prioridade a isso e mantém-se ‘aberto’ para o novo, as demais coisas se ajustarão por si só: seus relacionamentos, suas obrigações, seus bens e direitos materiais e todas as demais coisas menores que completam a vida. Mas, se você preencher sua vida somente com as coisas pequenas, então aquelas que são realmente importantes, nunca terão espaço em sua vida.”

Com isso, proponho a você viver com viva intensidade esta Semana Maior, sobretudo verificando o que ou quem tem sido colocado em primeiro lugar em sua vida. Seja bom o seu dia e abençoada a sua vida. Pax!!!

ÚLTIMAS DO AUTOR

Retorne ao coração

  • 31/03/2019 07:00

Desgovernados

  • 24/03/2019 05:12
Sandro Rogério dos Santos

Sandro Rogério dos Santos

Sandro Rogério dos Santos é pároco do Santuário Diocesano Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, situado no Jardim Maracanã, em Presidente Prudente.

Contato: padre@santuariosantateresinha.com

PUBLICIDADE