VENDAS

Quaresma aumenta a procura por peixes em até 30% em PP

Supermercados e peixarias passam a aumentar seus estoques de forma a garantir boas vendas no período

06/03/2019 05:23 • WEVERSON NASCIMENTO
José Reis - Nutricionista recomenda consumo no mínimo duas vezes por semana José Reis - Nutricionista recomenda consumo no mínimo duas vezes por semana

A busca por pescados na quaresma movimenta os comércios, pois é quando muitos consumidores deixam de comer carnes vermelhas. Neste ano, os comerciantes prudentinos esperam um aumento de 30% nas vendas e o preço dos pescados tradicionais variam de R$ 4,99 a R$ 59 o kg (quilo), exceto o tradicional bacalhau. Com isso, os supermercados e peixarias passam a aumentar seus estoques de forma a garantir boas vendas no período. 

Segundo a gerente geral da Peixaria e Rotisserie Navio, Magda Evelise Barros Siqueira, os produtos mais procurados no estabelecimento que trabalha são o filé de salmão, filé de abadejo, merluza e tilápia, pois há pessoas que ainda mantém a tradição de comer peixe na quarta e sexta-feira e com isso a procura se torna maior. “Por mais que a tradição esteja pendendo sentido, as vendas neste período têm efeitos positivos”, ressalta.

Neste sentido de tradição a agente comunitária, Edileuza dos Santos Estevam, 41, relata que só come o peixe na Sexta-feira Santa e que evita comer nas quartas-feiras. Uma tradição que vem passada de gerações a qual a importância é seguir os valores cristãos. Neste período, afirma que acompanha as ofertas do valor do peixe e adianta realizando encomendas para a Semana Santa e que todos os anos o investimento para este período equivalem em média R$ 50 de produtos.

De acordo com o gerente dos Supermercados Avenida, Joelson Tonietti, 55, a maior procura na época da quaresma é o bacalhau. Isso porque, dentre os outros pescados, foi o que se tornou mais cobiçado pelos clientes. “A grande atração todos os anos é o ba­calhau, em média é um dos que mais vendem no período da quaresma e este ano esperamos o mesmo”, afirma.

O administrador Douglas César da Cunha, 34, se alimenta de peixes na quaresma e principalmente na Semana Santa, pois se tornou uma tradição de família e que mantém. O administrador relatou que o costume vem dos avós e dos pais, que sempre fazem momentos de conversão, então acaba sendo um momento também para reunir a família. Do ponto de vista cristão, o preço não é o que mais importa e sim o valor espiritual. “Não nos importamos com os valores então optamos pela compra de sardinha ou file de merluza”, afirma.

 

Nutrição

A nutricionista Naiara Juliene Bordon Neves da Silva, 33, destaca alguns pontos na hora dos consumidores escolherem o melhor peixe. “Primeiro tem que ter uma visão do local que ele está sendo armazenado, no caso de um peixe fresco, observar se ele se encontra na refrigeração ou em cima de gelo, ou se está congelado com consistência firme”. Quanto a aparência do pescado, ela detalha que tem que estar brilhante e não ter manchas, marcas de cortes ou furos, pois podem entrar alguma contaminação. Outra dica é que os olhos têm que estar brilhantes com aspectos saudáveis.

No que diz respeito ao consumo, a nutricionista detalha que o peixe é um alimento rico em proteína, pois contém pouca gordura e muitos nutrientes, inclusive o ômega 3 em algumas espécies. “Ele assado ou grelhado em molho é o mais indicado, pois fritura acaba puxando muito óleo tornando-o muito um calórico e perdendo nutrientes. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda 12 kg de peixe por ano, mas os brasileiros comem apenas 9kg”. Para quem quer trocar a carne pelo peixe na quaresma o recomendado pela nutricionista é de no mínimo duas vezes por semana.