ABUDHABI

Prudentino é terceiro lugar em Ranking Nacional de jiu jitsu

Aaron Dayan de Oliveira Mariano almeja mundial e no futuro montar um projeto social para transformar vidas

IZABELLY FERNANDES - Especial para O Imparcial • 09/12/2018 05:10:00

Foto: Foto: Cedida / Aaron iniciou no jiu jitsu, inspirado em lutadores de alguns filmes

Presidente Prudente está representado no terceiro lugar do ranking nacional de jiu jitsu, com o lutador Aaron Dayan de Oliveira Mariano. Inserido na modalidade desde 2014, o atleta, mesmo com dificuldades de patrocínio, já disputou diversos campeonatos regionais, estaduais, nacionais e mundiais, resultando numa coleção de 28 medalhas. Ele conta que uma das disputas que marcaram sua carreira, foi a que realizou na Federação de Jiu Jitsu dos Emirados Árabes, o Continental Pró, de onde trouxe uma medalha de ouro para a casa. Agora, o lutador almeja lutar no mundial de Abudhabi de Jiu-Jitsu, e no futuro pretende montar um projeto social para transformar vidas.

Aaron acredita que até agora, tem conseguido suprir as expectativas de desempenho dentro da modalidade. No entanto, no decorrer da trajetória, ele conta que enfrentou algumas dificuldades para levar em frente o sonho de ser um representante do jiu jitsu. “A falta de patrocínio foi um dos grandes obstáculos, pois, com exceção da minha esposa, nunca tive incentivo de ninguém”, destaca.

O lutador revela que no ano passado conseguiu criar vínculos com alguns apoiadores. “Foi bem difícil, pois parece que a sociedade brasileira só tem olhos para o futebol e esquece dos outros esportes”, lamenta.

Hoje, com a conquista do título de terceiro lugar no ranking nacional da modalidade, Aaron fala que se sente realizado. “É uma sensação prazerosa, pois mesmo tendo que fazer freelances de garçom e barman para sustentar esse sonho, eu ainda consigo treinar e obter esses resultados. Tenho fé que em 2019, mais conquistas como esta virão”, aclmeja.

Aaron aconselha os ingressantes na modalidade, sobre a contínua busca pelo aprendizado. “A humildade é um dos fatores principais para obter sucesso, para que possamos aprender com os erros, para estarmos em constante evolução”, afirma.

 

Começo de tudo

O atleta iniciou a prática do jiu jitsu, inspirado em lutadores de alguns filmes. Ele conta que o interesse pelo esporte e especificamente pela modalidade, surgiu também devido à infância conturbada que teve. “Meus pais se separaram quando eu tinha 7 anos de idade e nunca tive o carinho deles, por isso eu vi o esporte como uma forma de preencher esse vazio.” O atleta fala que ficava muito tempo na rua e com o tempo percebeu que aquele ambiente não iria lhe proporcionar muitas coisas boas. “Com isso, ingressei primeiro no karatê, na capoeira e no muay thai. Um dia fui fazer uma visita em uma academia de jiu jitsu e decidi que queria isso para minha vida”, recorda.

O lutador afirma que um dos seus objetivos é um dia se tornar professor da modalidade. “Quero mostrar para a sociedade que o esporte pode funcionar como aliado para a formação de caráter do ser humano e além de tudo, que o jiu jitsu pode transformar vidas”, frisa.

Foto: Cedida / Lutador afirma que um dos seus objetivos é um dia se tornar professor da modalidade

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste