Proprietários precisam limpar terrenos, abolir queimadas e Prefeitura fiscalizar

02/08/2018 06:02:00

O mato alto em terrenos baldios e, consequentemente, a proliferação de animais peçonhentos, roedores, moluscos e insetos, tais como o mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue -, são alvos frequentes de reclamações de moradores de diversos bairros de Presidente Prudente. Mesmo nesta época do ano, de clima seco, algumas localidades enfrentam, além destas características, a alta incidência de queimadas. É comum encontrar, na área urbana, propriedades tomadas por entulhos, lixo e pelo matagal, cujos responsáveis não tomam providências para deixá-los em condições mínimas de higiene. A Prefeitura, ao mesmo tempo, não pode fazer vistas cegas a esta situação e deve punir os que ainda se comportam de tal forma.

Mesmo que a falta de chuva facilite este cenário de mato seco, não podem ser usadas como desculpas para que a situação assim permaneça. Tanto o mato quanto as queimadas são prejudiciais.

Há pais temendo pela segurança da saúde de seus filhos. E com razão. O aparecimento destes bichos em seus quintais pode causar doenças. Baratas, por exemplo, podem causar alergias por meio de suas fezes e cascas secas. Ao transitar por locais limpos contaminam os alimentos, louças, pratos, talheres, copos e outros. Já outros, como cobras, aranhas e escorpiões, dependendo da espécie, podem trazer, além das reações como inchaço e dor intensa no local, febre, vômitos, náuseas e até a morte da criança que foi picada.

Nas queimadas, estes animais se evadem das áreas com fogo e partem às moradias. A fumaça e a fuligem são outros complicadores para as doenças respiratórias. Não é aceitável que as reclamações continuem sempre pelo mesmo problema e a falta de conscientização das pessoas seja ainda o principal empecilho para que tenhamos uma cidade limpa, moradores mais tranquilos em suas residências, pelo menos para deixarem seus filhos pelo quintal. É importante que as pessoas se conscientizem dos problemas que a falta de limpeza em terrenos pode gerar e que esta seja feita o mais rápido possível.

É imprescindível ainda que os vizinhos destes locais não ateiem fogo e continuem denunciando ao setor responsável a situação de calamidade que se encontra estas áreas. Além disso, que cobrem mais agilidade e eficácia na manutenção pelo proprietário. Ao mesmo tempo, o poder público deve intensificar as fiscalizações em bairros, notificar os responsáveis e autuá-los para que, desta forma punitiva, possa ter ciência do risco em que está colocando a saúde da vizinhança, sobretudo de crianças que ainda desconhecem o perigo e têm a saúde mais frágil.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste