CORTE DE GASTOS

Projeto Guri coloca 95 profissionais em aviso prévio na região de Prudente

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado pode fechar 19 polos na região, com demissão de funcionários e em alguns casos redução de salário

  • 30/03/2019 07:00
  • GABRIEL BUOSI e WEVERSON NASCIMENTO Da Reportagem local

O Projeto Guri deve desmobilizar 19 polos na regional de Presidente Prudente, o que fez com que pelo menos 95 empregados fossem surpreendidos com a chegada de um aviso prévio, conforme medida da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, que além das demissões, fez alterações ainda em alguns casos, como aqueles em que serão reduzidos em até 50% os salários dos profissionais. A medida dá até o dia 21 de abril para os desligamentos, em caso de redução de sete dias corridos no prazo, ou até 28 de abril em caso de redução de duas horas diárias de trabalho, conforme a carta que a reportagem teve acesso. A decisão traz impactos para aproximadamente 3.720 alunos na região. “Trata-se de um imperativo da realidade orçamentária do Estado”, afirma a pasta estadual ao ser procurada pela reportagem. O polo regional na cidade de Presidente Prudente não foi impactado.

A surpresa dos profissionais veio ontem com a chegada das cartas, já que a secretaria, segundo apurado pela reportagem, não teria repassado as verbas necessárias ao projeto. Os educadores receberam apoio da Secult (Secretaria Municipal de Cultura) de Presidente Prudente, na presença do titular da pasta, José Fabio Sousa Nogueira, a qual ressaltou: “Não podemos aceitar que façam isso com tantas crianças e profissionais. Estou me manifestando como secretário de Cultura e como cidadão”.

Na ocasião, os educadores do projeto Guri foram reunidos no Centro Cultural Matarazzo, mas por medo de represália, decidiram se posicionar mediante ocultação de suas identidades. Segundo um dos educadores presentes, a cultura está “sendo dizimada”. “Nós não podemos mais nos calar diante destas atitudes. Este projeto sociocultural é considerado um dos maiores do país e só tem em São Paulo, por isso, não se trata simplesmente de um projeto de música com educadores musicais, e sim educadores sociais”, ressalta.

Outro profissional ouvido pela reportagem considera que a cultura perdeu o que “há de mais importante” no Estado com o anúncio feito ontem. “O Guri é mais do que um projeto social e cultural, é daqui que saem os alunos mais conhecidos e renomados. Hoje, a profissão a qual eu me dediquei 20 anos, já enxergo como uma profissão falida. Eu não consigo pedir para um aluno meu estudar o seu instrumento porque ele vai trabalhar com o quê? Onde? Qual será o incentivo agora?”, explana.

Muito dos educadores, inclusive, relatam que já foram alunos do Guri. “O projeto nos proporcionou muitas coisas, hoje, como ex-alunos, nos colocamos no lugar destas crianças que não serão mais atendidas. Aqui você encontra jovens que não têm condições e que no projeto podem enxergar um futuro melhor. Muitas crianças não têm nem o que comer em casa e vão até o projeto se alimentar, então não estamos pensando somente em nós, profissionais, mas também nas crianças”, lembra outro profissional. Conforme apurado pela reportagem, os funcionários que não foram demitidos tiveram uma redução de salário de até 50%.

A Associação Brasileira das Organizações Sociais de Cultura estimou que mais de 60 mil alunos das instituições culturais podem ficar desassistidos com o fechamento de até 150 polos no Estado.

 

“Realidade orçamentária”

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, por meio de nota, informou que o impacto do “contingenciamento” nos programas, instituições e ações da pasta está sendo avaliado. “As metas são minimizar as consequências e buscar mais eficiência e mais eficácia. Estamos fazendo reuniões individuais com cada uma das 18 organizações sociais, incluindo as gestoras do Projeto Guri, para definir as prioridades e os ajustes necessários”.

Por fim, a secretaria alega que se trata de um imperativo da realidade orçamentária do Estado.

 

SAIBA MAIS

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o Projeto Guri oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre seis e 18 anos. Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o Estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e no litoral, incluindo os polos da Fundação Casa, são administrados pela instituição Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e da Grande São Paulo fica por conta de outra organização social.

 

BOX

 

Polos desmobilizados na regional Presidente Prudente

 

Polo Adamantina

Polo Álvares Machado

Polo Caiabu

Polo Dracena

Polo Junqueirópolis

Polo Lar Francisco Franco – Rancharia

Polo Martinópolis

Polo Nantes

Polo Osvaldo Cruz

Polo Ouro Verde

Polo Pirapozinho

Polo Piquerobi

Polo Presidente Bernardes

Polo Presidente Venceslau

Polo Regente Feijó

Polo Sagres

Polo Tarabai

Polo Teodoro Sampaio

Polo Tupi Paulista

 

Total: 19 polos, aproximadamente 3.720 alunos e pelo menos 95 empregados em aviso prévio.