Educandário São José/Cedida: Entidade atende crianças e adolescentes em duas faixas de idade: 6 a 15 anos, e 16 e 17 anos

Foto: Educandário São José/Cedida: Entidade atende crianças e adolescentes em duas faixas de idade: 6 a 15 anos, e 16 e 17 anos

​​​​​​​SOLIDARIEDADE

Projeto de Anastácio é aprovado no Criança Esperança

Serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, do Educandário São José, é o primeiro do oeste paulista a ser reconhecido

  • 13/07/2019 08:40
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Anualmente, a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação,  a Ciência e a Cultura) abre um processo seletivo público para selecionar os projetos de organizações da sociedade civil sem fins lucrativos para o recebimento de apoio financeiro, por meio do projeto Criança Esperança, de realização da Rede Globo. São cerca de sete ou oito meses de contato até promover a aprovação ou não dos programas participantes. E foi esse o período enfrentado pelo Educandário São José, de Santo Anastácio, até que a feliz confirmação viesse. E veio, durante essa semana, trazendo alegria para os assistidos, satisfação àqueles que administram a entidade e orgulho à região, uma vez que o projeto é o primeiro do oeste paulista a ser aceito.

E sabe aquela sorte de principiante? Coincidência ou não, digamos que isso ajudou bastante, pois foi a primeira vez que a entidade tentou escrever o projeto Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, e deu certo! “Eles abrem o processo seletivo anualmente, e, no final do ano, nós pensamos: ‘por que não?’. E depois de sete, oito meses a resposta veio e foi a melhor possível”, comemora a irmã Sirlei de Souza Antunes, tesoureira do Educandário.

E, se houve sorte de principiante ou não, isso nunca será confirmado, mas o trabalho que é desenvolvido pela entidade, e que foi responsável pela aprovação, isso sim pode. E foi o que fez o Criança Esperança. “Porque nesses meses que ficamos em contato com ele, além de preenchermos um formulário de inscrição, a entidade tem que mostrar tudo o que é feito, no processo seletivo”, completa a irmã. Na ocasião, ela conta que além de levantar uma série de documentos, vídeos e fotos das atividades desenvolvidas também são encaminhados.

E o desfecho atrelado às boas novas veio de uma maneira inesperada, mas feliz. À reportagem, Sirlei diz lembra que foi da seguinte forma: “eles estraram em contato conosco essa semana, dizendo que viriam à região para falar sobre solidariedade. Na hora até perguntei se tinha a ver com o Criança Esperança, porque a gente fica ansioso, né? Mas disseram que não”. Até que na quinta-feira, eles falaram que o projeto foi aceito. “E aí foi muita emoção, né. Foi bom demais, uma alegria imensa”, completa a irmã.

Com a aceitação, o Educandário receberá pouco mais de R$ 80 mil, como pontuado por Sirlei, o que ajudará na compra de novos equipamentos para a entidade, que são pertinentes para o desenvolvimento das atividades oferecida às crianças e adolescentes atendidos. “Muitas vezes, o dinheiro que a gente consegue com doações e ações para angariar fundos bastam somente para a manutenção do que já temos. Então, essa quantia vem, logicamente, para nos ajudar. Mas mais que isso, é bom ter a satisfação em ver nosso trabalho sendo reconhecido”, felicita.

Ela não deixa de agradecer também a todos de Santo Anastácio que auxiliam a entidade, bem “como as pessoas que doam para o Criança Esperança, pois são elas que mantém os projetos”, finaliza.

 

ASSISTIDOS e ATIVIDADES

O Educandário São José, por meio do projeto Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos atende duas faixas de idade, totalizando 279 crianças e adolescentes: 200 de 6 a 15 anos, e 79 de 16 a 17 anos. Diferentemente de quando foi instituído, hoje a divisão ocorre porque as ações tem de ser diferenciadas, de acordo com a necessidade de cada idade, como explica a entidade.

E o projeto é como se fosse uma escola de tempo integral, um contra turno escolar. Durante esse período, os assistidos passam por atividades que possam desenvolver a convivência com os vínculos que possuem: família e amigos. Nisso, estão inclusas ações lúdicas, esportivas, educacionais, culturais e de qualidade de vida, como informáticas, caratê, basquete, vôlei, futebol, interação social, corte de cabelo, trabalhos no pomar e horta, entendimento sobre a natureza, importância da reciclagem, brincadeiras antigas e muito mais. Os assistidos possuem um calendário de atividades semanais.