PREVENÇÃO

Programa DST/Aids conscientiza foliões no carnaval

Durante o feriado prolongado, agentes devem distribuir preservativos e entregar panfletos educativos sobre doenças sexualmente transmissíveis em Prudente

  • 02/03/2019 09:55
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

Mesmo com a ausência das tradicionais festas de carnaval de rua em Presidente Prudente neste ano, o Programa DST/Aids informa que hoje e segunda-feira equipe do órgão deve passar por bairros da cidade em busca de foliões, com o objetivo de distribuir preservativos, explicar sobre a importância do cuidado nas relações sexuais e para a distribuição de panfletos educativos. A ação, além do caráter óbvio, se faz necessária já que, apenas neste ano, nove pessoas foram diagnosticadas com a doença. “Após o carnaval nós recebemos um aumento de 20% a 30% na quantidade de pessoas que buscam os testes, por causa de relações desprotegidas. Por isso, nossa ação in loco se faz importante”, pontua o coordenador do programa, Jefferson Saviollo.

Antes de abordar as informações locais, vale dizer que justamente com o foco nas festas sazonais é que o Ministério da Saúde lançou uma campanha intitulada de “Pare, pense e use camisinha”. A ideia é a de conscientizar foliões que irão pular o carnaval e estimular o uso do preservativo, principalmente entre os homens na faixa etária de 15 a 39 anos. “Entre as novidades para este ano está a apresentação da nova embalagem da camisinha distribuída no SUS [Sistema Único de Saúde]. O Ministério da Saúde irá distribuir 12 milhões de presrvativos com a nova identidade visual durante os dias de festa. O novo conceito é mais moderno e dialoga diretamente com o público jovem, que é o mais atingido por novas infecções nos últimos anos”.

Em Presidente Prudente, mesmo com o cancelamento da festa oficial de rua, o Programa DST/Aids prevê percorrer pelos principais pontos de festas na cidade, com a intenção de trabalhar em dois dias, hoje e segunda, e das 21h às 23h59, no incentivo à prevenção. “Nessa época as pessoas acabam fazendo o uso maior de bebidas alcóolicas e isso faz com que elas tomem algumas ações que acabam sendo, no sexo, desprotegidas. Vamos orientar sobre o uso dos preservativos, como reconhecer sinais das doenças sexualmente transmissíveis e como nosso serviço pode ser procurado”, informa Jefferson.

Em Presidente Prudente, conforme dados da VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal), houve um aumento de 13% na quantidade de casos de aids entre os anos de 2017 e 2018, pois, respectivamente, os períodos apresentaram 86 e 98 casos. Neste ano foram nove confirmações e os homens representam a maioria, sendo 152 pessoas do sexo masculino com a doença de um total de 193 casos.

Saiba mais

Estima-se que 866 mil pessoas vivem com o HIV no Brasil. De acordo com o Boletim Epidemiológico de HIV e Aids divulgado no fim do ano passado, a epidemia no Brasil está estabilizada, com taxa de detecção de casos de aids em torno de 18,3 casos a cada 100 mil habitantes, em 2017. Isso representa 40,9 mil casos novos, em média, nos últimos cinco anos.

Nos últimos quatro anos, a taxa de mortalidade pela doença passou de 5,7 óbitos/100 mil habitantes em 2014 para 4,8 óbitos/100 mil habitantes em 2017.  A redução é resultado da garantia do tratamento para todos - lançada em 2013 -, aliada à melhoria do diagnóstico, além da ampliação do acesso à testagem e redução do tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento.

Fonte: Ministério da Saúde

Serviço

O Programa DST/Aids fica na Avenida Coronel José Soares Marcondes, 2.357. O telefone para mais informações é o 3221-1366.