Weverson Nascimento - Encontro reuniu empresas de laticínios e produtores de leite do Pontal do Paranapanema

Foto: Weverson Nascimento - Encontro reuniu empresas de laticínios e produtores de leite do Pontal do Paranapanema

POTENCIAL

Produção leiteira movimenta R$ 46,4 milhões na região de Prudente

Pontal do Paranapanema gera média anual de 47 milhões de litros de leite; evento ontem, em Prudente, buscou fortalecer a cadeia produtora nos municípios

  • 27/04/2019 04:00
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Reportagem Local

A produção leiteira no Pontal do Paranapanema é a maior do Estado de São Paulo, segundo a Fundação Itesp (Instituto de Terras do Estado de São Paulo). Os números da safra 2015/2016 destacam que 2.284 produtores somaram 46.870.882 litros de leite, com renda de R$ 46.421.752,29 na comercialização do produto. Com objetivo de aproximar estes trabalhadores das empresas de laticínios e fortalecer ainda mais a produção do Pontal, a Secretaria Estadual da Justiça e Cidadania e a Fundação Itesp promoveram ontem, na Fundação Inova de Presidente Prudente, o 1º Integra Leite. O evento reuniu aproximadamente 200 produtores e representantes de indústrias.

Segundo o diretor-executivo da Fundação Itesp, Claudemir Peres, 48 anos, o Pontal do Paranapanema se tornou a principal bacia leiteira do Estado e, com isso, o órgão busca melhorar a qualidade e a quantidade desse leite, ou seja, intensificar ainda mais a atividade de pecuária de leite na região. “Esse é um dos motivos que definiram o evento, aproximar a indústria do produtor. Precisamos ter essa interlocução entre a produção e a indústria para que melhore a qualidade, a quantidade, o preço do leite e que quem ganha é consumidor final.”

O leite se tornou uma importante fonte de renda, principalmente para os pequenos produtores, o que faz com que hoje, nos assentamentos estaduais, quase 70% das famílias assentadas trabalhem com a cadeia produtiva do leite, explica o diretor-executivo. “Como tem esse giro rápido, acaba facilitando a entrada dos produtores na atividade.”

De acordo com Claudemir, a região produz só nos assentamentos, com pequenos produtores, em torno de 47 milhões de litros de leite/ano - considerado um número muito significativo. “Precisamos organizar essa produção para que todos ganhem, ou seja, o produtor com o escoamento da produção e a indústria com um produto de qualidade no mercado”.

Em estudo

O diretor-executivo mencionou um estudo, ainda em andamento, que analisa o impacto da produção leiteira dentro dos pequenos municípios. Segundo ele, a região é formada na sua maioria por pequenas cidades, logo, esse dinheiro circula dentro delas próprias. “Então, a importância desse produtor é enorme, ele faz girar a economia e é por isso que buscamos fortalecer essa produção para que cada vez mais esses municípios tenham uma economia consolidada, de forma que proporciona também o desenvolvimento regional.”

O evento

O evento debateu ainda as obrigatoriedades das novas normativas, 76 e 77, fixadas pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), para a produção de leite que cria estratégias para otimizar a produtividade, o escoamento da produção e a geração de renda. Segundo diretor-executivo da Fundação Itesp, o evento é importante para que o produtor tome conhecimento principalmente das novas normativas que vêm do governo e que serão implantadas a partir do segundo semestre. “Propomos a questão da qualidade do gado e do leite, então, a oportunidade é dar um pontapé inicial para que eles tomem conhecimento sobre essa legislação. Faremos outras capacitações menores, in loco, para que eles possam cada vez mais estar dentro do contexto de produtividade”.

O Itesp tem o papel de orientar esses produtores com equipe multidisciplinar e capacitar para que eles possam cada vez mais suprir o mercado leiteiro. Seguindo este pensamento, no evento, foi proposto uma palestra motivacional. Segundo a palestrante e analista de desenvolvimento agrário da Fundação Itesp. Eliane de Jesus Teixeira Mazzini, 47 anos, o objetivo é a motivação no sentido completo do ser humano, ou seja, como se portar diante dos acontecimentos não só da produção leiteira, mas com agir diante dos conflitos e estar motivado mesmo diante de situações problemas. “O objetivo e introduzir a questão do foco, objetividade, da meta e despertar conceitos interiores para alavancar inciativas futuras”.

O evento contou ainda com palestra do auditor fiscal federal, Marco Aurélio Pupo Ceccon, e do zootecnista da multinacional MSD (Merck Sharp & Dohme Corp), Rafael Cassiolato.