José Reis - Fertilizantes orgânicos produzidos na região são lançados na feira

Foto: José Reis - Fertilizantes orgânicos produzidos na região são lançados na feira

BATATEC

Produção de batata-doce movimenta R$ 100 mi ao ano na região de PP

Tema foi abordado ontem, no IBC Centro de Eventos, em Prudente, como parte da programação da Batatec; evento segue hoje a partir das 12h

  • 15/06/2019 04:00
  • GABRIEL BUOSI - Da Reportagem Local

A região de Presidente Prudente conta com aproximadamente quatro mil hectares de produção de batata-doce – distribuídas entre mais de 200 produtores – o que faz com que cerca de 600 mil toneladas do produto sejam produzidas ao ano. A movimentação, também ao ano, é de R$ 100 milhões. Justamente para falar sobre o assunto, é que ocorreu no início da noite, no IBC Centro de Eventos, em Presidente Prudente, a abertura oficial da 2ª edição da Batatec (Feira Tecnológica da Batata-doce). Poucas horas antes, no entanto, uma palestra com o pesquisador em Fitopatologia da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) Hortaliças, Alexandre Furtado Silveira Mello, falou sobre o manejo de doenças durante a produção. Algo que tem levado a região a ser reconhecida em todo o país pelo cuidado com a prevenção. O evento segue hoje a partir das 12h.

O palestrante veio de Brasília (DF) para participar do evento pela segunda vez, e informou à reportagem que a iniciativa tem ajudado na troca de ideias e experiências para entender as demandas existentes da batata-doce, o que para ele, só tem a somar. “Vim falar sobre o manejo das doenças na produção e vou focar em três tipos, como os fungos e viroses. São doenças que afetam o crescimento da batata e podem afetar, gradativamente, de 5% a 100% da produção”, informa. Além disso, ele comentou sobre a baixa quantidade de produtos registrados para esse tipo de trabalho, o que faz com que seja importante falar e esclarecer sobre como encontra-los e aproveitá-los.

Alexandre comentou ainda que, atualmente, muitos são os produtores que sabem da existência de tais problemas, mas que, muitas vezes, demoram a entender a importância de realizar o manejo, o que não é o caso da região de Prudente. “Tenho observado que nos últimos anos os produtores daqui têm adotado essas estratégias e, com isso, já relatam aumentos na produtividade. Dentro das regiões que visito por todo o país, essa é a que tem mais entendido a importância desse manejo”, relata.

Referência internacional

Na tarde de ontem, no IBC Centro de Eventos, esteve presente a curadora de batata-doce do Centro Internacional de Batata, Genoveva Rossel, que veio diretamente do Peru para acompanhar a feira e as tecnologias ofertadas. “Minha função, basicamente, é a de, por exemplo, conservar e caracterizar os tipos de batatas. São mais de 5,6 mil variedades cultivadas disponíveis para distribuição mundial”, afirma.

Questionada sobre a Batatec, ela comentou estar encantada com a estrutura e informou que, em nível internacional, tem apresentado bons resultados. “Estou impressionada e observando os produtos disponíveis a partir da batata-doce. Participei ainda de um dia de campo aqui na cidade e percebi como é grande o trabalho ofertado na região”, salienta.

Novidade

O líder de utilidades da Rousselot, Caio Vinícius Amaral Freitas, trouxe para a feira uma novidade produzida na região, em Presidente Epitácio, que promete trazer mudanças positivas no mercado. Com resíduos gerados a partir da gelatina, o grupo idealizou fertilizantes orgânicos homologados pelo Ministério da Agricultura. “Esse resíduo antigamente era mandado para o aterro sanitário e agora estamos submetendo esse produto no processo de compostagem”. A capacidade mensal é de 1,2 mil toneladas do fertilizante orgânico, que, por enquanto, é vendido apenas na região.