Agência Petrobras - Mais de 525 toneladas de resíduos foram retiradas de praias nordestinas

Foto: Agência Petrobras - Mais de 525 toneladas de resíduos foram retiradas de praias nordestinas

SEM IMPACTO

Procura por pacotes ao nordeste segue normal

Manchas de óleo em praias não afetaram vendas de viagens àquela região, apontam agências de Prudente

  • 21/11/2019 09:45
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Na região nordeste do país, recentemente, mais de 525 toneladas de resíduos foram retiradas das praias do litoral dos Estados, atingidas por manchas de óleo, desde o início dos trabalhos de limpeza, afirmou recentemente a Marinha por meio de nota. Mesmo com este cenário, as agências de viagens de Presidente Prudente ouvidas pela reportagem relatam não ter sofrido impactos com relação aos pacotes adquiridos e as vendas para o verão, período de maior concentração de embarques para o nordeste.

Na agência de viagens CVC do Prudente Parque Shopping, por exemplo, até o momento, não houve intercorrências. Informa que tem recebido fotos e vídeos de passageiros que estão na região, dizendo que o problema é “bem menor” do que efetivamente divulgado. “Não tivemos nenhum cancelamento decorrente disso”, expõe a agência.

Já segundo a consultora da Koemtur Câmbio e Turismo, Maria Elisete Mesquita, com relação às viagens para o nordeste, quem já comprou pacote não optou por cancelá-lo, mantendo as expectativas positivas ao passeio. Já os passageiros que ainda não fecharam pacotes, aguardam a situação no que diz respeito às áreas atingidas por manchas de óleo.

Segundo o presidente da Aviesp (Associação das Agências de Viagens do Interior de São Paulo), Marcos Antônio Carvalho Lucas, essas agências não foram afetadas, porque os danos estão sendo “minorados” e nem todas as praias estão afetadas. Além disso, nas cidades litorâneas do nordeste, a praia é mais um atrativo e não o único. “Na verdade, as melhores praias do nordeste não são as urbanas e, sim, aos arredores das capitais e destinos”, destaca.

ORIENTAÇÕES

DO PROCON

Em nota, o Procon-SP (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) esclarece a respeito dos problemas gerados em razão das manchas de óleo derramadas nas praias nordestinas, com redução na qualidade dos serviços adquiridos pelos consumidores. Embora não exista dever de indenizar, o órgão estimula as partes a buscarem entendimento com base nos princípios da boa-fé objetiva e harmonia nas relações de consumo. Os fornecedores, por sua vez, deverão buscar atenuar o prejuízo dos consumidores, considerando sua vulnerabilidade, seja remarcando novas datas dentro de sua disponibilidade, seja restituindo os valores a quem não desejar mais o serviço.