Eleições 2018

Primeiro turno finaliza sem ocorrências em Prudente

Sem conseguir inicializar dispositivo, uma urna foi trocada em Álvares Machado; apurações perduraram até às 20h15

THIAGO MORELLO - Da Reportagem Local • 09/10/2018 04:49:00

É de praxe que a Justiça Eleitoral faça plantões no dia das eleições, por meio de diversos órgãos. Para 2018, a promessa é de que seria uma concorrência mais tranquila em nível regional. E de acordo com o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo), o primeiro turno foi sim finalizado sem o registro de ocorrências em Presidente Prudente. Cartórios relatam denúncias de possíveis falhas nas urnas, mas que foram esclarecidas ao longo do dia. Um dispositivo foi trocado em Álvares Machado.

O cenário foi diferente da situação estadual, no qual o Tribunal contabilizou 35 ocorrências de crimes eleitorais e a substituição de 214 urnas, o que representa 0,19% das disponibilizadas: 113.319. Mas o presidente do TRE-SP, Carlos Eduardo Cauduro Padin, mesmo assim, acredita que a corrida eleitoral “transcorreu dentro da normalidade, sem número expressivo de ocorrências, dado o tamanho da estrutura do pleito no Estado”.

O status de tranquilidade transcendeu à região, pelo menos como confirmado por 2 das 3 zonas eleitorais de Presidente Prudente. Na 402ª ZE (Zona Eleitoral), a chefe do cartório, Letícia Macoratti de Castilho, relata que não houve grandes dificuldades. Por lá, o expediente de apuração terminou por volta das 18h40, que se prolongou algumas horas mais, em vista da totalização do próprio TRE-SP. “Mas de modo geral tudo transcorreu bem. Tivemos alguns relatos de erros nas urnas, de pessoas que não conseguiram visualizar candidatos, por exemplo, mas que durante a conversa com o eleitor foi esclarecido que foi uma falha propriamente humana”, completa.

A mesma situação também ocorreu na 101ª ZE. À reportagem, Fabiano de Lima Segalla, que é o chefe do cartório, diz que contabilizou cerca de 10 ocorrências com relatos de “fraudes e erros” nas urnas. “Mas todos foram verificados e confirmados que se trataram de incompreensões sobre como funciona o processo do voto, como, por exemplo, tentar votar em alguém que não é do Estado em questão e mesmo assim assimilar isso como fraude” aponta.

Fabiano também não deixa de salientar que ainda há muita crença de erros por parte da Justiça Eleitoral, que mesmo o órgão provando a confiabilidade, ainda há uma parte da população que é carente de informação e atrela à culpa aos Tribunais. Por lá, a apuração foi até às 20h. E tanto ele quanto Letícia sinalizam que nenhuma urna foi substituída.

Cenário que difere a zona de atendimento da 182ª ZE, que atende municípios da região. A chefe do cartório, Patrícia Zacharias, destaca que uma urna eletrônica foi trocada em Álvares Machado, devido a não inicialização do dispositivo. “Mas tudo seguiu dentro da normalidade, com apuração até às 20h15, mais ou menos, e sem casos de crimes eleitorais ou denúncias”, pontua.

Expediente fiscal

E como explicado por esse diário, durante todo o processo eleitoral e também no dia da votação, cabe aos juízes e promotores eleitorais de cada ZE fiscalizar as seções. O promotor da 101ª, Mário Coimbra, pondera que, de modo geral, o primeiro turno foi “tranquilo, sem transtorno”. Ele ainda ressalta que o resultado não diferiu de outras comunidades semelhantes a Presidente Prudente, bem como o comportamento do eleitor em meio a ida às urnas.

Nenhum juiz eleitoral foi localizado pela reportagem para relatar sobre o expediente fiscal do domingo.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste