Preservação de áreas públicas deve ser um trabalho conjunto na cidade

  • 18/08/2019 04:00

Lançado na manhã de sexta-feira, o projeto “Adote uma praça”, iniciativa da Prefeitura de Presidente Prudente, busca a valorização de praças, canteiros e rotatórias da cidade por meio da parceria entre sociedade e poder público. Com isso, pessoas físicas e jurídicas, por meio de ofício, podem se tornar responsáveis por um local público. Conforme noticiado por O Imparcial na edição de ontem, a empresa ou cidadão que adquirir a concessão de um espaço deve mantê-lo limpo, em funcionamento e seguro.

Na reportagem, o titular da Semea (Secretaria Municipal de Meio Ambiente), Wilson Portella Rodrigues, informa que o projeto contribuirá para a contenção de despesas no município, uma vez que, atualmente, “gasta-se muito com a limpeza de áreas onde há o descarte irregular de lixo e resíduos”.

É digna de nota a medida criada pela Prefeitura, considerando que, de fato, a demanda pela limpeza de áreas públicas é alta e contínua na cidade. Quando este periódico veiculava o especial “Bairros Prudentinos”, em que a reportagem visitava semanalmente determinada localidade do município, uma das principais reivindicações dos munícipes era a conservação das áreas públicas, que, muitas vezes, passavam longos períodos com mato alto e servindo como depósito de lixo.

O Executivo tem como uma de suas atribuições a preservação desses locais, contudo, a participação da comunidade nesta tarefa é fundamental, considerando que são inúmeros os lugares que precisam de atenção no dia a dia. Inevitavelmente, as equipes da administração não conseguem atendê-las todas ao mesmo tempo. Há um cronograma para ser cumprido, além de contratempos que atingem diariamente a máquina pública.

Ao abrir espaço para a colaboração da comunidade, munícipes poderão adotar locais como esses e garantir a fiscalização e conservação dos mesmos, favorecendo desta forma a construção de um espaço urbano mais limpo, atraente e que promova saúde e bem-estar para toda a população.