Precisamos de tempo...

  • 02/10/2019 04:25
  • Marcos Alves Borba

É bem provável que neste exato momento, muitos já se programaram para a tão chegada do final de ano, o que nos leva a repensar sobre parte das coisas que fizemos ou que ainda faltam para serem realizadas. Mesmo num lance total de atropelamento das coisas, e que ainda não cumprimos, é normal essa ansiedade de que nossa simples avaliação sobre o que realizamos não seja o suficiente aos nossos caprichos, pois por alguns instantes iremos penalizar o tempo como forma de que ele seja o principal mentor. Somos assim, e é bem provável que muitos pensem e agem assim. Criamos até com certa teimosia, e persistimos em evidenciar as ações que ainda estão por ser realizadas. E assim de alguma forma passamos a terceirizar nossas ações como sendo certo de alívio as nossas justificativas.

Neste exato momento, muitos estão insatisfeitos com seus empregos, almejando que chegue logo esse tão esperado final de um ciclo. Talvez, com planos de mudança para alguma outra proposta de valor, o que possa lhe beneficiar novos horizontes. São muitos que se encontram totalmente insatisfeitos com seus corpos, e mesmo fazendo o mínimo, dentro de um padrão de movimentos com exercícios e alimentação, se sabotam diariamente, de que o pouco feito até o momento foi puramente inútil a sua persistência. E assim é bem provável que venham as lamúrias de uma lamentação nefasta. Isto é, querem porque querem que as coisas fluam sem um mínimo de esforço.

Se as faculdades dos sonhos passam a se tornar um pesadelo, devido o pouco que se buscam do conhecimento, pois veem e sentem um mercado afoito de tanta gente que se forma e não consegue uma vaga. Seria o mercado saturado da área, ou simplesmente a inércia que o cativa de acreditar que o tempo será seu melhor parceiro? Se estendermos nossas inquietações, com certeza que não caberão na primeira página desse artigo.

Uma dica simples é não parar, não desistir, ser mais uma na esfera do que seja possível e firme nas decisões. Persistir com veemência, seja enfático nas decisões, desde que faça de tudo isso um sentido da busca, de que a vida valha e muito. Se o fator tempo é um ponto de equilíbrio para fazer e sonhar, não deixe que nenhum acéfalo possa sufocar seu sonho...

ÚLTIMAS DO AUTOR