Medida de segurança

Policiais recebem treinamento com armas de guerra

SSP informa que conta com o apoio e suporte logístico do Exército Brasileiro; treinos ocorrem após descoberta de plano de facção

ROBERTO KAWASAKI - Da Redação • 07/11/2018 04:39:00

Treinamentos a agentes visam proteger entorno da P2 de Venceslau. Foto: Whatsapp/Reprodução

Os agentes da Polícia Militar que atuam na segurança do perímetro da Penitenciária Henrique Guimarães Pereira, P2 de Presidente Venceslau, têm recebido treinamentos reforçados com armas de guerra desde a semana passada, após a descoberta de um plano estimado em R$ 100 milhões para resgatar os chefes de uma facção que atua dentro e fora dos presídios paulistas. Conforme noticiado por este diário, o plano foi descoberto pelo governo do Estado de São Paulo e previa a ação de mercenários estrangeiros, dois helicópteros de guerra, lança-mísseis e metralhadoras. No início do mês passado, o aeroporto municipal de Venceslau chegou a ser fechado para evitar a possível execução da ação.

Para que a Rota (Ronda Ostensiva Tobias Aguiar) mantenha o efetivo em constante treinamento, foram adquiridos armamentos de guerra testados pelos agentes. Os detalhes da aquisição de metralhadoras MAG calibre 7.62 mm foram apurados pela “Folha de São Paulo”, que afirma também o uso de metralhadoras de calibre 50 do Exército Brasileiro para proteger o entorno da prisão onde está a cúpula da facção. Conforme o periódico, o número de armas usadas não foi informado pelo Exército e nem pela PM, mas estima-se que sejam cerca de 10, já empregadas no interior paulista desde o fim de semana. A PM, no entanto, não teria autorização para comprar esse armamento.

A reportagem entrou em contato com a SSP (Secretaria de Segurança Pública) e foi informada que a Polícia Militar mantém o aumento de efetivo policial, com apoio do Comando de Policiamento de Choque em Presidente Venceslau. Ainda, salienta que conta com o apoio e suporte logístico do Exército Brasileiro, no entanto, “sem envolvimento de efetivo”. “As medidas têm como objetivo garantir a segurança dos presos que estão em unidades prisionais, agentes públicos, assim como da população da região. Por questões de estratégia e segurança, mais detalhes não serão passados”, completa a nota encaminhada pela pasta.

Por telefone, a Assessoria de Imprensa da SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) informou que não irá se manifestar a respeito do assunto, uma vez que ainda não havia sido notificada a respeito do reforço no treinamento dos policiais. A reportagem questionou o Sindasp (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de São Paulo) sobre a questão de segurança dos agentes, no entanto, a entidade também preferiu não se posicionar.

Aeroporto fechado

Como noticiado por O Imparcial, em outubro, o juiz de Direito corregedor da Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, Gabriel Medeiros, determinou o isolamento do aeroporto municipal, a fim de evitar um possível resgate de membros de uma facção criminosa da unidade, que fica próxima ao local, após interceptações telefônicas. “A medida se torna necessária, pois evitará problemática maior”.

O documento com o pedido foi encaminhado ao prefeito de Presidente Venceslau, Jorge Duran Gonçalez (PSD), quando o juiz esclareceu ter recebido informações acerca de uma possível movimentação arquitetada por uma conhecida facção criminosa, cujos líderes se encontravam na P2. 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste